05 de março de 2021 Atualizado 16:19

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Economia

Importações caem 22% em Americana entre janeiro e maio

Cidade importou US$ 120 milhões nos primeiros cinco meses do ano, contra US$ 155 milhões no mesmo período de 2019

Por Marina Zanaki

24 jun 2020 às 09:01 • Última atualização 24 jun 2020 às 09:36

As importações entre janeiro e maio em Americana encolheram 22% em relação ao mesmo período do ano passado. A cidade comprou US$ 120 milhões no exterior nos cinco primeiros meses de 2020.

Nesse mesmo período em 2019, haviam sido importados US$ 155 milhões. Os dados foram levantados junto à plataforma Comex Stat, do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços.

O professor Paulo Oliveira, economista do Observatório PUC-Campinas, alertou que a queda nas importações é um indicativo da diminuição na atividade industrial relacionada diretamente à pandemia do novo coronavírus (Covid-19).

“Se você desenha um processo onde insumos são importados para fabricação local, e boa parte dos produtos são vendidos aqui no Brasil, a queda nas importações da indústria significa queda na atividade de frente”, apontou.

“A dependência que a indústria da região tem de insumos importados não é necessariamente algo bom ou ruim, depende da estratégia de inserção internacional. Mas é fato que quando se tem uma situação de dependência, como é o nosso caso, enxergar queda nas importações é ver um sintoma de queda na produção nacional”, avaliou o economista nesta terça-feira.

Os dois principais produtos importados pela cidade são borracha sintética e artificial derivada dos óleos; e borracha natural. As quedas nas importações foram, respectivamente, de 24% e 21%.

Em valores, isso significou uma redução de US$ 7,57 milhões na compra de borracha sintética e US$ 3,69 milhões na borracha natural. Já a compra de fios de filamentos sintéticos, terceiro produto com mais importações, cresceu 3% no período, o equivalente a US$ 239 mil.

As exportações no município caíram de US$ 70 milhões para US$ 62 milhões no período analisado, redução de 11%.A balanç

a comercial da cidade ficou negativa em US$ 57 milhões (ou seja, com mais importações do que exportações). O déficit diminuiu em relação ao mesmo período do ano passado, que teve resultado de US$ 85 milhões negativos.

Região
Na RPT (Região do Polo Têxtil), as exportações caíram 36% em relação ao ano, passando de US$ 386 para US$ 246 milhões. Já as importações caíram 10% no ano, de US$ 970 milhões para US$ 864 milhões. O déficit no saldo da balança comercial na região aumentou, passando de US$ 583 milhões para US$ 617 milhões no período.

Podcast Além da Capa
O mais festejado dos cinco títulos mundiais da seleção brasileira? A resposta é subjetiva, mas a conquista da Copa do Mundo de 1970, no México, completa 50 anos sem ter ameaçado seu lugar no Olimpo do futebol. O ambiente de Americana naqueles dias de junho pauta essa edição do Além da Capa. O editor Bruno Moreira conversa com o repórter Rodrigo Alonso, além de contar com a contribuição de convidados.

Publicidade