20 de maio de 2022 Atualizado 15:16

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Crime

Homem levado ao ‘tribunal do crime’ em Americana é salvo após denúncia à guarda

Gama foi avisada de um homem teria teria sido sequestrado por duas pessoas e levado para um condomínio na região da Praia Azul

Por Ana Carolina Leal

22 Janeiro 2022, às 14h02 • Última atualização 22 Janeiro 2022, às 14h08

Um homem de 32 anos foi resgatado na madrugada deste sábado antes de ir para o “tribunal do crime”, em Americana. Ele foi salvo após denúncia de WhatsApp feita para a Gama (Guarda Municipal de Americana), que prendeu um mecânico de 18 anos em flagrante.

O caso aconteceu na Rua Maranhão, no bairro Balneário Riviera, na região da Praia Azul. Segundo o boletim de ocorrência, os guardas foram informados de que um homem teria sido sequestrado por duas pessoas, colocado em um Corsa de cor chumbo e levado para dentro de um condomínio de apartamentos naquele endereço.

Receba as notícias do LIBERAL no WhatsApp

Ao se aproximar do veículo, os patrulheiros viram um homem na direção e um outro atrás com as portas trancadas. Tratava-se da vítima, um servente de 32 anos. Ele disse que estava caminhando pela rua quando foi abordado por dois homens, que o agarraram pelos ombros e o jogaram dentro do Corsa.

Em depoimento na delegacia, o servente afirmou que, dentro do carro, os homens o mandaram ficar com a cabeça abaixada e a todo momento o ameaçavam de morte, sendo a possível razão o fato dele ter delatado o tráfico de drogas para a polícia. Disse ainda que não conhece os suspeitos e acredita ter sido confundido.

O mecânico de 18 anos, por sua vez, declarou em depoimento que estava chegando no condomínio onde mora, por volta das 3 horas, com seu veículo Corsa, quando viu cerca de três a quatro pessoas agredindo o servente. Ele disse que ao sair do veículo para ver o que estava acontecendo, a vítima entrou no carro dele para se proteger.

Segundo o mecânico, os agressores teriam dito que o servente tinha “mexido” com uma criança e citou algo relacionado a facção criminosa. Ele disse que levou a vítima para a última rua do condomínio e que estava fazendo apenas a segurança dele enquanto os outros decidiam o que iriam fazer. O mecânico nega participação no sequestro, bem como ter trancado o servente no carro.

O caso foi registrado pelo delegado Edgar Moreira Carneiro como sequestro e cárcere privado. O mecânico foi levado para a cadeia de Sumaré e o outro suspeito ainda não foi identificado.

Publicidade