Grupo de fiéis pede saída de dom Vilson em protesto

Aproximadamente 150 pessoas, segundo a organização, se manifestaram contra o bispo na basílica; padre Leandro também foi alvo dos protestos


Um grupo de fiéis protestou neste sábado, na Basílica Santuário Santo Antônio de Pádua, contra o bispo dom Vilson Dias de Oliveira. Os manifestantes reivindicam que ele deixe o comando da Diocese de Limeira, que é a responsável pelo templo americanense.

O protesto foi motivado pelas denúncias de que dom Vilson teria acobertado supostos casos de abuso do padre Pedro Leandro Ricardo, que comandava a basílica, além de desviado recursos da igreja e extorquido padres subordinados a ele. A Igreja e a Polícia Civil investigam as acusações.

Cerca de 150 pessoas compareceram no ato, segundo estimativa de uma das organizadoras, a ministra da Eucaristia Ivanete Mattos de Oliveira, de 66 anos, que trabalha como cabeleireira.

A manifestação começou na escadaria da basílica. A maioria estava vestida de preto, alegando “luto” por causa dos escândalos que envolvem o principal templo religioso de Americana. Na sequência, os fiéis marcharam pelo Centro. Eles rezavam, cantavam músicas religiosas e também gritavam pela saída de dom Vilson. “Fora, bispo”, diziam.

Foto: Rodrigo Alonso / O Liberal
Protesto foi realizado na manhã deste sábado, em frente à basílica

Os manifestantes também portavam cartazes. O maior deles carregava um pedido direto para o arcebispo dom Giovanni d’Aniello, núncio apostólico, que atua como representante diplomático do Vaticano no Brasil: “Afaste o bispo dom Vilson da Diocese de Limeira, ele está envergonhando a igreja católica”. A Gama (Guarda Municipal de Americana) acompanhou o ato.

“A gente não está feliz com o que está acontecendo. Eu acho que a nossa igreja, a nossa basílica, não merece passar por isso que está passando”, disse Ivanete.

Foto: Rodrigo Alonso / O Liberal
Alvos do grupo eram o bispo dom Vilson e o padre Pedro Leandro Ricardo

De acordo com ela, a organização do protesto começou após a confusão de domingo passado, quando um músico que tinha sido dispensado pela administração paroquial bateu boca com fiéis. “A gota d’água foi domingo”, afirmou.

Outra manifestante, a aposentada Lola Rondelli, de 65 anos, reclamou de falta de transparência na basílica. “Ninguém viu dinheiro, ninguém viu nada”, comentou. Procurada pela reportagem, a Diocese de Limeira apontou que dom Vilson não se manifestaria sobre o ato.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora

Receba nossa newsletter!