Gratuidade na Área Azul de Americana será só via aplicativo

Medida para o estacionamento rotativo em Americana está em esboço de decreto apresentado nesta segunda-feira em reunião no MP


A gratuidade de 30 minutos diários na Área Azul de Americana só poderá ser adquirida pelo aplicativo de celular. A medida está no esboço do decreto que regulamenta o estacionamento rotativo, apresentado nesta segunda-feira pela prefeitura em reunião no Ministério Público. A Estapar, empresa que administra o sistema, estima que a nova funcionalidade esteja disponível em aproximadamente 60 dias.

Até lá, a gratuidade continua a valer do modo atual: a pessoa precisa adquirir um cartão na sede da Estapar, na Rua Rui Barbosa, número 509, ao custo de R$ 2,50, e o insere no parquímetro. São 15 minutos de manhã e mais 15 à tarde. Pelo aplicativo, vão continuar valendo os dois períodos de 15 minutos.

Foto: João Carlos Nascimento / O Liberal_3.4.2019
Vagas também podem ter alteração

Em reunião no começo do mês, o promotor Ivan Carneiro Castanheiro, que conduz um inquérito sobre o assunto, havia questionado por que a gratuidade não estava disponível no aplicativo. Na visão do promotor, não fazia sentido pegar a fila do parquímetro para avisar que chegou.

Na reunião de ontem, o diretor da Estapar, Adelcio Antonini, apresentou a alternativa de disponibilizar a gratuidade pelo aplicativo que já existe. Porém, isso excluirá a prática de usar o cartão para ter acesso aos 30 minutos grátis – ele disse que manter os dois geraria mais custos à empresa.

Quando a tecnologia que garante a gratuidade via aplicativo estiver disponível em Americana, vai funcionar assim: o motorista vai estacionar e terá de comprar um crédito de ao menos uma hora pelo app, que exige o uso de cartão de crédito. Quinze minutos depois, poderá cancelar a compra pelo próprio aplicativo. O valor pago então será devolvido.

“O cartão por enquanto continua até a implementação do aplicativo, ou uma coisa ou outra”, explicou Adelcio.

Alguns vereadores presentes não gostaram da solução, por que obriga a pessoa a ter o aplicativo. Presidente da comissão da Área Azul, Maria Giovana disse que o grupo vai marcar reunião com a autoridade de Trânsito, Eraldo Camargo, mas acha difícil mudar mais alguma coisa.

O promotor afirmou que é preciso levar em conta que hoje pouca gente não tem um celular e que o aplicativo é gratuito. Ivan também afirmou que, durante as negociações, é possível que a empresa concorde em ceder a gratuidade via parquímetro e aplicativo, já que há a possibilidade de que a Estapar aumente a receita com a exclusão de ruas onde hoje a procura é baixa e inclusão de novas vias.

Novas ruas

Durante a reunião, a Estapar e a prefeitura informaram que 179 vagas deixarão de ter Área Azul, entre elas a Rua Ipiranga e um trecho da Cândido Cruz. E a ideia é levar o sistema a locais onde hoje não existe o estacionamento rotativo, como a Niels Nielsen, a Domingos Nardini e Achilles Zanaga. Porém, por sugestão do promotor, a inclusão e exclusão de ruas ficará fora desse primeiro decreto. O assunto será discutido entre Estapar, prefeitura e vereadores nos próximos 15 dias.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora