Gasolina alcança valor mais alto do ano em Americana

Média do litro do combustível chegou a R$ 4,227 em Americana; postos já cobram mais do que na greve dos caminhoneiros


Foto: João Carlos Nascimento - O Liberal.JPG
Fabiano Finetti, um dos proprietários de uma rede de postos com oito unidades em Americana, diz que o problema é o preço do dólar

O litro da gasolina em Americana atingiu seu maior preço médio neste ano: R$ 4,227. É o que revela a última pesquisa semanal da ANP (Agência Nacional do Petróleo), feita entre os dias 5 e 11 de maio em 14 postos do município. Alguns dos estabelecimentos mantinham os mesmos preços nesta quinta-feira, conforme constatado pelo LIBERAL, mas há a expectativa de nova alta nesta sexta-feira.

Entretanto, existem postos que já cobram valores maiores do que os praticados durante a greve dos caminhoneiros em 2018, que começou em 21 de maio e terminou no dia 30 daquele mês.

A escalada no valor em 2019 reverteu uma queda que vinha acontecendo desde novembro do ano passado. Em fevereiro deste ano, a gasolina chegou a registrar preço médio de R$ 3,82. Em contrapartida, o preço do etanol apresentou queda na mesma pesquisa. O preço médio ficou em R$ 2,662 – na semana anterior, estava em R$ 2,906.

Fabiano Finetti, um dos proprietários de uma rede de postos com oito unidades em Americana, diz que o problema é o preço do dólar. “Está subindo porque a gasolina a cotação é em dólar, então, o dólar sobe a gasolina sobe”, explicou.

Finetti afirma que a gasolina ainda deve ter nova alta nesta sexta-feira. A expectativa é de que o valor cobrado aos comerciantes tenha um acréscimo de R$ 0,06, no caso dos que compram da Petrobras. A alta tem reduzido o movimento nos postos, segundo o empresário.

“Como o pessoal costuma abastecer sempre o mesmo valor, a litragem vai cada vez menos no carro. Então a minha litragem (de venda) também cai”, afirmou Finetti.

Apesar do aumento, o preço da gasolina em Americana é o 12º mais baixo do Estado – isso entre as 108 cidades pesquisadas pela ANP.

Hortolândia tem o preço médio mais baixo do Estado, de acordo com a pesquisa da ANP (R$ 4,153). Santa Bárbara d’Oeste aparece em quinto, com R$ 4,198, e Sumaré em sexto, com gasolina vendida nas bombas, em média, a R$ 4,204. Nova Odessa não aparece no levantamento semanal realizado pela ANP. O preço médio mais alto praticado no Estado está em Cubatão, ainda de acordo com a pesquisa (R$ 4,72).

PERÍODO GREVE. Durante o mês de maio de 2018, que registrou a greve dos caminhoneiros, o preço máximo que a gasolina foi revendida em Americana foi R$ 4,299, em um universo de 56 postos pesquisados. Um ano depois, o valor máximo na cidade é maior.

Entre os 14 postos pesquisados pela ANP, o maior valor praticado foi R$ 4,399. Em um estabelecimento do Jardim Ipiranga. Há ainda um posto no Cidade Jardim cobrando R$ 4,377 no preço do litro, enquanto outro da Vila Paraíso vendia a R$ 4,359.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora

Receba nossa newsletter!