22 de maio de 2022 Atualizado 12:12

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Americana

Festa do Peão de Americana é cancelada pelo segundo ano por conta da pandemia

Clube dos Cavaleiros de Americana remarcou para 10 a 19 de junho o retorno da festa no município; é o segundo ano sem o evento

Por Heitor Carvalho

05 Maio 2021, às 15h23 • Última atualização 05 Maio 2021, às 15h39

Espaço tem capacidade de 70 mil pessoas, mas cada noite de eventos deve movimentar um público de 40 mil e 20 mil pessoas - Foto: Adilson FotoPerigo

A edição da Festa do Peão de Americana de 2021, que ocorreria entre os dias 2 e 13 de junho, foi cancelada por conta da pandemia do novo coronavírus (Covid-19). É a segunda vez que o evento é suspenso. No ano passado a festa foi cancelada pelo mesmo motivo.

A informação foi confirmada por um comunicado oficial emitido pelo Clube dos Cavaleiros, entidade que organiza a festa, que enfatizou que a suspensão do evento vai gerar um impacto em 15 mil vagas, entre empregos diretos e indiretos.

A previsão era que a Festa do Peão acontecesse entre 2 e 13 de junho deste ano, depois de dois adiamentos em 2020. Em março desse ano, no entanto, a festa foi novamente adiada, desta vez para outubro, o que também não se concretizou.

Receba as notícias do LIBERAL no WhatsApp

Estavam previstos shows de artistas como Marília Mendonça, , Maiara & Maraísa, Gusttavo Lima, Edson & Hudson, Zé Neto & Cristiano, Alok, Gustavo Mioto, Chitãozinho & Xororó, Luan Santana, Jorge & Mateus, Dennis DJ, Wesley Safadão, entre outros.

Segundo a organização da festa, com a piora da pandemia nos últimos meses, adiar para o segundo semestre seria algo “totalmente arriscado” neste “momento tão incerto”.

Desta forma, a 34ª edição da Festa do Peão de Americana acontecerá apenas em 2022, entre 10 e 19 de junho. Em 2019 foi o último ano que a cidade teve uma edição do rodeio.

De acordo com as fases do Plano São Paulo, eventos que gerem aglomerações só podem ocorrer depois de 28 dias de estabilidade da região na fase verde.

“Ficamos tristes, claro! Pelo segundo ano consecutivo, nos vemos totalmente impossibilitados de dar continuidade a um evento com mais de 30 anos de história, que se tornou referência e uma das mais importantes festas sertanejas do País”, afirmou Beto Lahr, presidente do Clube dos Cavaleiros.

“O setor de eventos é o mais afetado e o Clube dos Cavaleiros também. Mas Graças a Deus temos história e os patrocinadores estão nos ajudando a passar por essa fase difícil. Lamentamos, mas realmente não temos o que fazer. A saúde do ser humano é o mais importante. Também reforço a nossa solidariedade a todas as famílias das vitimas da Covid-19”, concluiu Beto.

Publicidade