25 de julho de 2021 Atualizado 18:33

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Plano São Paulo

Fase emergencial começa a valer na próxima segunda-feira

Trata-se de uma etapa ainda mais restritiva do que a atual fase vermelha, com mais restrições na atividade econômica

Por Talita Bristotti

11 mar 2021 às 13:10 • Última atualização 11 mar 2021 às 14:56

O governador João Doria (PSDB) anunciou novas medidas de restrição para tentar frear o avanço da pandemia. O Estado de São Paulo entrará na “fase emergencial” do Plano São Paulo entre 15 a 30 de março.

Trata-se de uma etapa ainda mais restritiva do que a atual fase vermelha e ela começa a valer na próxima segunda-feira. Um estudo aponta que essas novas medidas colocarão mais 4 milhões de pessoas em restrições, já que um dos objetivos é aumentar para mais de 50% o índice de isolamento no Estado.

O LIBERAL no seu e-mail: se inscreva na nossa newsletter

O Centro de Contingência de combate à Covid-19 ressaltou que esse é o momento mais crítico da pandemia no Estado e no Brasil. A taxa de ocupação de UTIs no Estado é de 87,6%. Há 1.065 pacientes aguardando no Sistema de Regulação Estadual de vagas.

Entenda o que muda:

  • Restrição completa do serviço de retirada em qualquer tipo de estabelecimento, sendo permitido somente o drive-thru e delivery;
  • Fechamento de lojas de construção;
  • Suspensão das três divisões do Campeonato Paulista e de todas atividades esportivas coletivas;
  • Atividades religiosas coletivas, como cultos e missas, não poderão ocorrer no Estado de São Paulo – templos podem ficar abertos;
  • Home office obrigatório para atividades administrativas em órgãos públicos, escritórios e qualquer setor que não seja essencial;
  • As escolas públicas da rede estadual seguirão abertas apenas para distribuição de alimentação, material e chips, com agendamento prévio. Os recessos de abril e outubro serão antecipados para 15 a 28 de março, sem prejuízo do calendário escolar;
  • As escolas da rede municipal e particular estão autorizadas a funcionar, mas o Estado solicita que as atividades sejam reduzidas ao mínimo possível para diminuir a circulação de pessoas.

Haverá toque de recolher das 20h às 5h e o governo paulista pede que as pessoas não saiam de casa depois desse horário a não ser que seja realmente necessário.

O Estado também sugeriu um escalonamento de horários para os funcionários de serviços essencial, acordo com o tipo de atividade. A sugestão é para que trabalhadores da indústria iniciem suas jornadas entre 5h e 7h; de serviços, das 7h às 9h; e do comércio, das 9h às 11h.

Os supermercados e postos de combustíveis de todo o Estado poderão continuar funcionando normalmente, nos mesmos horários praticados atualmente.

Está proibido uso de parques e praias, além da proibição de qualquer atividade que gere aglomeração. O Estado apela para o uso de máscaras em todos os ambientes.

Estado apresentou números para justificar adoção da “fase emergencial” – Foto: Reprodução

“É uma decisão impopular e dura. Entendo o sofrimento de todos, é difícil não poder sair para trabalhar e garantir o sustento da família. Mas só há duas medidas para conter o vírus: a vacina e o distanciamento social”, disse o governador.

Publicidade