11 de maio de 2021 Atualizado 21:48

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Americana

Família diz que vítima de feminicídio sofria várias agressões do marido

Homem foi preso em flagrante suspeito de ter participado, com o irmão, da morte de Kauane Cordeiro de Campos

Por Leonardo Oliveira

30 mar 2021 às 07:39 • Última atualização 30 mar 2021 às 08:47

A família da adolescente Kauane Cordeiro de Campos, de 17 anos, morta na noite do último sábado, em Americana, disse que ela, por várias vezes, foi agredida pelo marido, o ajudante Douglas da Silva dos Santos, de 25 anos. Ele é acusado de envolvimento na morte dela.

Kauane foi socorrida até o Hospital Municipal, mas faleceu – Foto: Facebook / Reprodução

O LIBERAL esteve na tarde desta segunda-feira na casa da família, no Jardim dos Lírios, e conversou com parentes da adolescente. O empresário Ivo Cordeiro, tio de Kauane, citou um histórico de agressões sofridas pela sobrinha desde 2019, um ano depois que ela começou o relacionamento com o acusado.

O LIBERAL no seu e-mail: se inscreva na nossa newsletter

“O que a gente ficou sabendo é que ele já agrediu ela por várias vezes. Ela fez alguns boletins de ocorrência e depois retirou. Sempre vimos [o relacionamento] com suspeita, sempre com um pé atrás”.

Ivo Cordeiro, tio de Kauane, disse que ela havia sido agredida várias vezes pelo marido – Foto: Marcelo Rocha / O Liberal

A prima da vítima, Vitória Farias dos Santos, de 20 anos, contou que o casal estava junto desde 2018 e que Kauane tinha “medo” do companheiro, por isso retirou as queixas que fez contra ele.

A família diz que até tentou conversar com a adolescente sobre a situação, mas não teve sucesso em impedir o relacionamento.

Em 2019, Douglas chegou a ser preso e condenado por tráfico de drogas. Neste ano, a Justiça anulou as provas colhidas contra o ajudante e o inocentou. Ele conseguiu um alvará de soltura e foi liberado da prisão no dia 12 deste mês, 15 dias antes do feminicídio do qual é acusado. Depois disso o casal voltou a morar junto.

O CRIME

Kauane e Douglas estavam participando de um churrasco na casa do cunhado,  o ajudante Jorge Luiz da Silva Toledo, de 25 anos, que afirmou que os três estavam bebendo e que a cunhada não gostou de uma brincadeira que ele fez, por isso ela teria lhe agredido com socos.

Segundo Douglas, a sua companheira partiu pra cima do irmão com uma faca e ele “apenas se defendido”, esfaqueando-a. Disse ainda que não pôde fazer nada. A adolescente foi socorrida e levada até o Hospital Municipal Dr. Waldemar Tebaldi, mas faleceu. A filha do casal, de dois anos, presenciou o crime.

Embora o cunhado tenha confessado o crime para os guardas, durante o depoimento na Polícia Civil ele e o irmão não se manifestaram. A delegada Talita Navarro Fiorini viu indícios de que Douglas pudesse ter participado do feminicídio de sua companheira, por isso realizou a prisão em flagrante dos dois irmãos. Douglas foi encontrado do lado do corpo de Kauane e duas facas foram localizadas no crime.

Isso, aliado ao fato de que teria havido uma briga do casal antes da confusão, segundo a delegada, “apontam” o envolvimento de Douglas ou, ao menos, “uma participação”. A reportagem não conseguiu contato com os advogados dos suspeitos até a publicação desta reportagem.

A prisão em flagrante foi convertida em preventiva pela Justiça. “Os autuados possuem diversas passagens criminais havendo informações de que pertencem ao crime organizado, sendo comum nesses casos, que um somente assuma o delito praticado, isentando a responsabilidade criminal do outro”, acrescenta a delegada.

O tio da vítima disse esperar por Justiça. “Nossa família sempre foi unida, então foi uma parte do nosso corpo que foi tirada. A gente fica com pena da menina, porque, em um dia, ela perde o pai e a mãe. Ela fica também um pouco traumatizada por ter presenciado o ocorrido. Ela estava lá no momento e, inclusive, pisou no sangue da mãe”, finaliza.

Publicidade