Exame descarta morte por dengue em morador do São Domingos

Milton Benedicto morreu dia 10 de abril com suspeita de dengue, mas exame descartou a doença, assim como leptospirose, febre amarela e febre maculosa


A Vigilância Epidemiológica de Americana informou na tarde desta terça-feira (21) que o exame realizado pelo Instituto Adolfo Lutz, de São Paulo, descartou dengue, leptospirose, febre amarela e febre maculosa como causas da morte do aposentado Milton Benedicto, de 69 anos.

Foto: Reprodução / Facebook
Exames descartaram dengue como causa da morte de Milton Benedicto

Benedicto, que era morador do São Domingos, morreu no dia 10 de abril no Hospital Municipal “Dr. Waldemar Tebaldi”, onde estava internado. Na época, a prefeitura informou que ele havia falecido em função de uma febre hemorrágica “a esclarecer”.

Uma sobrinha de Benedicto, no entanto, afirmou que o mesmo já havia recebido o diagnóstico de dengue anteriormente. O aposentado chegou a ficar internado quatro dias no HM de Americana, mas recebeu alta em 31 de março, apresentado piora do quadro de saúde e retornando à unidade no dia 9 de abril, um dia antes de sua morte.

Ainda de acordo com a Vigilância Epidemiológica, é aguardada uma avaliação do caso pelo GVE (Grupo de Vigilância Epidemiológica) de Campinas, para que o caso possa ser esclarecido e encerrado.

Outros casos

Além deste caso descartado, a RPT (Região do Polo Têxtil) tem outras nove mortes com suspeita de dengue, que aguardam os resultados dos respectivos exames. Destes, cinco óbitos foram registrados em Americana, dois em Santa Bárbara d’Oeste e mais dois em Hortolândia.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora

Receba nossa newsletter!