09 de julho de 2020 Atualizado 15:04

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Americana

Ex-vereadora Lurdinha Ginetti é pré-candidata a prefeita de Americana pelo PT

Partido dos Trabalhadores ainda não descarta a possibilidade de coligação; PDT e PSOL já foram cotados

Por André Rossi

29 jun 2020 às 13:24 • Última atualização 30 jun 2020 às 09:37

A ex-vereadora Lurdinha Ginetti, 61, é a pré-candidata do PT para disputar a Prefeitura de Americana nas eleições deste ano. A escolha aconteceu durante reunião do diretório municipal do partido na manhã de domingo (28).

Filiada ao Partido dos Trabalhadores desde 2015, Lurdinha foi vereadora de 2004 a 2008 pelo PDT. Ela tentou, mas não conseguiu se reeleger no pleito seguinte. Antes disso, trabalhou na prefeitura durante a administração do prefeito Waldemar Tebaldi entre os anos de 2001 e 2004.

Lurdinha vê como natural possibilidade de coligação: “não podemos nos fechar” – Foto: Divulgação

“Fomos amadurecendo a ideia ao longo das discussões políticas, as quais nos levaram a considerar a importância de oferecermos ao povo o nosso projeto de desenvolvimento democrática e popular para Americana”, afirmou Lurdinha.

A ex-vereadora não acredita que o desgaste do PT a nível nacional nos últimos anos possa influenciar na eleição.

“A política muda bastante de um período para outro e o PT já foi bem votado em Americana. Há uma descrença geral [com a política] e acho que vamos sofrer tanto quanto outras forças políticas nesse momento que estamos atravessando, com a pandemia

Entretanto, o presidente do PT na cidade, Francisco Silva, o Chiquinho, diz que ainda não foi descartada a possibilidade de formar uma coligação ao invés de ter candidata própria. Em março deste ano, o dirigente disse ao LIBERAL que o partido cogitava apoiar a candidatura da vereadora Maria Giovana Fortunato (PDT).

Chiquinho relevou também que já houve conversas nesse mesmo sentido com o PSOL, que tem o advogado Adriano de Oliveira Silva como pré-candidato a prefeito. A expectativa é de que a definição aconteça em reunião do diretório no próximo domingo (5).

“Há uma vontade da militância em ter candidatura própria, porém só saberemos após o encontro. Vamos conversar com todos os setores progressista na tentativa de construir uma cidade melhor que atenda as necessidades dos trabalhadores da periferia”, comentou Chiquinho.

Para Lurdinha, é natural que essas possibilidades ainda estejam em discussão.

“Nós não podemos nos fechar para conversas dentro do nosso campo democrático. Mesmo com candidatura própria as pessoas buscam alianças. E alianças muito bem formadas costumam ter um bom resultado”, analisou.