Eugênia Mancini é enterrada no Cemitério da Saudade

Fundadora da LBV e do Soma, ela havia completado 97 anos no dia 7 de junho


O sepultamento de Eugênia Nair Simone Mancini na manhã desta terça-feira (12) foi marcado pelo reconhecimento de seu trabalho à assistência social em Americana. Fundadora da LBV (Legião da Boa Vontade) e do Soma (Serviço de Orientação Multidisciplinar para Adolescentes de Americana), ela foi lembrada com carinho por todos aqueles que ajudou. Eugênia foi enterrada no Cemitério da Saudade.

Ela morreu na tarde desta segunda-feira (11) na casa de repouso onde vivia. A idosa havia completado 97 anos no dia 7 de junho, ao lado dos familiares e amigos. Ela teve dois filhos, sendo um falecido; era viúva, deixa sete netos e três bisnetos.

Foto: Marina Zanaki/O Liberal
Dona Eugênia foi sepultada no Cemitério da Saudade

“Ela foi uma pessoa que se dedicou muito ao assistencialismo de Americana. Ela construiu um lugar no céu com todo o trabalho que ela realizou”, disse Guilherme Mancini, neto de Eugênia.

Presidente do Soma, João Tavares lembrou que dona Eugênia intermediou junto ao então prefeito Ralph Biasi a instalação da instituição na atual sede, em um imóvel na Praça dos Expedicionários, na Vila Medon. “A dona Eugênia fez a verdadeira filantropia, e realmente fez um sacerdócio para todos aqueles que mais precisavam”, disse.

Voluntária da LBV, Aparecida Manuela Pereira trabalhou por 20 anos ao lado de dona Eugênia. “Ela era um exemplo para as pessoas. O lema dela era ajudar, se preocupava com jovens, famílias, mães que ficavam sozinhas cuidando dos filhos”, afirmou.

Nascida na cidade de Artur Nogueira, ela também contribuiu com outras instituições americanenses, como o Lar das Meninas, Centro Espírita O Samaritano e o Lar Escola Monteiro Lobato.

Foto: Talita Bristotti / O Liberal
Dona Eugênia Mancini morreu aos 97 anos
LIBERAL VIRTUAL Acesse agora

Receba nossa newsletter!