Escolas particulares de Americana reforçam orientações sobre vacina

Após morte de estudante por meningite em Americana, unidades educacionais mandam comunicados e esclarecem pais sobre importância da imunização


Escolas particulares de Americana têm reforçado as orientações sobre a importância de manter atualizada a vacinação das crianças. A medida tem sido adotada após uma estudante de 12 anos morrer com meningite, na semana passada. Um segundo caso suspeito está sendo investigado pela Vigilância Epidemiológica no Parque Novo Mundo.

O colégio Dom Bosco, que tem 1.030 alunos, enviou aos pais um comunicado nesta segunda-feira orientando as famílias a não enviarem os filhos às aulas caso estejam doentes.

“Nesta época em que sabemos de casos ou suspeitas de meningite em nossa cidade, lembramos da importância de atender a este pedido e reforçamos que, conforme orientação médica inclusive, ligaremos para que venham buscar seus filhos caso apresentem febre e/ou outro sintoma”, traz o comunicado.

Foto: João Carlos Nascimento / O Liberal
Enfermeira do Dom Bosco, Vanessa Barbosa mostra comunicado

O texto também lembra da obrigatoriedade de apresentar a declaração de regularidade da vacinação. O documento passou a ser obrigatório para matrículas e rematrículas escolares no ano passado, após aprovação de lei de autoria de Vagner Malheiros (PDT).

Diretora pedagógica do Colégio Salesiano Dom Bosco, Patricia Albieri Guidolin avalia que a lei ajuda as escolas no controle das doenças.

“As crianças passam muito tempo da vida delas aqui dentro. Não somos instituição de saúde, mas quando podemos contribuir para isso, acredito que é muito válido”, declarou.

Enfermeira do Dom Bosco, Vanessa Silva Barbosa Dias destacou que o principal objetivo é impedir a circulação de doenças contagiosas dentro do ambiente escolar.

“Tem muitas crianças que não estão imunes e estão com as ‘janelas abertas’. Essa declaração é uma forma de ver quem está com a vacinação atrasada e atualizar”, indicou.

Coordenadora pedagógica do Colégio D. Pedro II, que tem cerca de 800 estudantes, Jane Junqueira tem orientado sobre a importância da vacinação quando é procurada pelos pais.

A coordenadora indica, quando é possível, a aplicação das doses disponíveis na rede privada (ACWY e meningite B), que protegem contra diversos tipos de meningite bacteriana.

“Algumas mães estão em polvorosa, estamos orientando quando elas questionam, encaminhando para levar as crianças para vacinarem. Não estamos alarmando, vem a preocupação das famílias e estamos conversando individualmente”, indicou a profissional.

A Secretaria de Saúde de Americana entende que é “muito importante” o engajamento da área da educação para ajudar no esclarecimento sobre a doença e, ao mesmo tempo, “reforçar as medidas de prevenção, o que evita o alarmismo e as notícias falsas sobre a transmissão da doença”.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora