13 de setembro de 2021 Atualizado 19:51

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Americana

Em visita a Americana, ministra diz que governo Bolsonaro é ‘incompreendido’

Damares deixou a cidade sem anúncio de verbas e disse que as melhores obras do governo são a proteção e valorização da vida

Por Ana Carolina Leal

13 set 2021 às 19:51

Damares afirmou que o Ministério não tem verbas, mas colocou os projetos e programas à disposição dos prefeitos - Foto: Ernesto Rodrigues - O Liberal.JPG

A ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves, disse nesta segunda-feira (13) que o governo Bolsonaro é incompreendido. A declaração foi dada durante visita à cidade de Americana. Ela foi recebida em uma churrascaria, onde almoçou com grupos evangélicos, políticos regionais e apoiadores, entre eles os deputados estadual Paulo Freire (PL) e federal Carla Zambelli (PSL).

A visita da ministra foi intermediada por lideranças religiosas ligadas à Assembleia de Deus e a convite da secretária de Assistência Social e Direitos Humanos de Americana, Juliani Hellen Munhoz Fernandes. Antes, porém, ela se reuniu com cerca de 100 prefeitos e vereadores do Estado em Jaguariúna. O encontro teve como objetivo fortalecer a implementação de frentes parlamentares de defesa das pessoas com deficiência e doenças raras nos municípios paulistas.

Em Americana, Damares disse que o governo Bolsonaro é incomum, mas formado por pessoas comuns e que está fazendo o incomum. “Estamos tendo coragem de tocar em temas e assuntos que estavam abandonados no Brasil. Somos incompreendidos às vezes, não estão entendendo o que estamos fazendo, mexendo com as estruturas, mexendo com tudo, porque para esse governo as melhores obras não são os asfaltos do Tarcisão [ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas]. As melhores obras desse governo são a proteção e valorização da vida”, declarou.

Entre aplausos frequentes, ela propôs um desafio aos três prefeitos presentes – Chico Sardelli (PV), de Americana, Rafael Piovezan (PV), de Santa Bárbara d’Oeste, e Cláudio Schooder (PSD), de Nova Odessa: um pacto no enfrentamento da violência contra criança.

“Nós temos hoje um recorde que é de uma criança de 7 dias estuprada e é aqui no Estado de São Paulo. O estupro de recém-nascido estourou no Brasil e a gente vai ter que enfrentar. Tem crime organizado nisso, tem dinheiro e nós não temos medo. Estamos enfrentando com muita coragem, por isso que é um governo incomum, que movimenta toda máquina para saber o que está acontecendo com uma criança. Para nosso governo, toda criança é importante, toda vida vale a pena”.

“Estamos tendo coragem de tocar em temas e assuntos que estavam abandonados no Brasil”, afirmou ministra – Foto: Ernesto Rodrigues – O Liberal.JPG

Antes de deixar a churrascaria, a ministra falou brevemente com a imprensa e a exemplo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) declarou ser favorável a um código penal mais rígido. “O projeto de reforma do código está parado no Senado desde 2012. Está na hora no Congresso ouvir o nosso apelo e rever”.

Damares também afirmou que o Ministério não tem verbas, mas colocou os projetos e programas à disposição dos prefeitos. Da churrascaria, ela seguiu para a Coasseje (Casa de Orientação e Assistência Social Seareiros de Jesus) e encerrou a visita na Associação Beneficente Residencial Evangelico Benaiah, sem anúncio de recursos para o município.

Publicidade