17 de setembro de 2021 Atualizado 22:43

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

COVID-19

Doria amplia horário do comércio e anuncia fim de restrições a partir de 17 de agosto

Governador anunciou que estabelecimentos poderão funcionar até 0h a partir de 1º de agosto

Por Marina Zanaki

28 jul 2021 às 13:30 • Última atualização 28 jul 2021 às 14:39

O governador João Doria (PSDB) anunciou nesta quarta-feira (28) novas flexibilizações no funcionamento de atividades no Estado. O horário de funcionamento de atividades como bares e restaurantes passa das 23h para 0h a partir do dia 1º de agosto. A ocupação máxima passa de 60% para 80%. Essas regras valem até 16 de agosto. O tucano também extinguiu o toque de recolher durante a madrugada.

As medidas foram possíveis, segundo o governador, por conta do avanço da vacinação e melhora nos indicadores da pandemia. A taxa de ocupação dos leitos de UTI Covid está em 54%, a menor desde o início do ano. Em relação ao pico da segunda onda, o Estado de São Paulo registra queda de 51% nos casos, 62% nas internações e 57% nos óbitos.

Doria ainda anunciou que o Estado vai extinguir limites de horário de funcionamento e de ocupação de estabelecimentos a partir de 17 de agosto. A data é um dia após o prazo estipulado pelo governo de São Paulo para aplicação de ao menos uma dose contra coronavírus em toda a população adulta.

A partir desse momento, a fase de transição termina e começa a chamada “Retomada Segura”.

Mesmo com a liberação de todas as restrições, seguem obrigatórias medidas como uso de máscaras, distanciamento mínimo de um metro e medidas de higiene.

“A lembrança dos protocolos é especialmente importante, porque talvez tenha sido um ponto que levou alguns lugares do mundo muito desenvolvidos a ter problema. Atingir certo nível da vacinação e abrir mão precocemente dos protocolos. Esse é um diferencial muito importante do Estado de São Paulo e exige colaboração da população”, destacou a Secretária de Desenvolvimento Econômico, Patrícia Ellen.

Vacinação adiantada

O governo de São Paulo antecipou para 16 de agosto o fim da vacinação com a primeira dose de todos os adultos do Estado. Até então, o calendário previa aplicação de ao menos uma dose em toda a população acima dos 18 anos até 20 de agosto.

Outra atualização divulgada nesta quarta-feira pelo governador João Doria (PSDB) é o início da vacinação de adolescentes entre 12 e 17 anos com comorbidades em 18 de agosto – o calendário previa no dia 23.

Veja o calendário divulgado pelo governo – Foto:

“É o senso de urgência, de respeito pela vida dos brasileiros que vivem no Estado de São Paulo. Estamos podendo fazer isso pois compramos 4 milhões de doses adicionais da Coronavac junto à fabricante Sinovac. Já chegaram, foram distribuídas, e com a ajuda dos prefeitos e secretários de Saúde, estamos antecipando a vacinação no Estado de São Paulo”, declarou Doria.

O Vacinômetro do Estado de São Paulo aponta mais de 35 milhões de doses aplicadas. Entre a população adulta, 76% recebeu ao menos uma dose e 21% está com o esquema vacinal completo.

“Lembrando que não podemos deixar de falar dos faltosos, que não voltaram às unidades básicas para a segunda dose. É muito importante que completem esquema vacinal. Quando mostramos esse novo calendário, estamos trabalhando simultaneamente com as duas doses da vacina”, disse a coordenadora do Programa Estadual de Imunização, Regiane de Paula.

Variante Delta

Membro do Centro de Contingência, o infectologista Carlos Magno Fortaleza disse ao LIBERAL na semana passada que é contra novas flexibilizações nesse momento por conta da preocupação gerada pela variante Delta.

A cepa é mais transmissível, demanda duas doses para proteção e causou uma crise intensa na Índia. O Estado de São Paulo teve 15 casos de transmissão comunitária identificada.

Secretário de Estado da Saúde, Jean Gorinchteyn declarou nesta quarta-feira que 96% das infecções em São Paulo são da cepa Gama.

“Na sua origem, a Delta impactou na Índia idosos e portadores de comorbidades. Temos aqui no Estado um seguimento de regras sanitárias, com distanciamento, uso de máscara e uso de álcool gel, e celeridade na vacinação, com 75% da população imunizada. A combinação de vacina e regras sanitárias permite que tenhamos situação diferente da que foi vista em outro país”, argumentou o secretário.

Publicidade