Dia de oração por autoridades é sancionado por Doria

Lei de autoria do ex-deputado de Americana Chico Sardelli e de Reinaldo Alguz propõe que se torne hábito povo orar e não criticar as autoridades


O governador João Doria (PSDB) sancionou nesta quinta-feira um projeto de lei que institui a terceira segunda-feira de cada mês como o “Dia de Oração pelas Autoridades da Nação”. A legislação é de autoria do ex-deputado estadual Chico Sardelli e pelo atual parlamentar Reinaldo Alguz (ambos PV) e foi aprovada no ano passado na Assembleia Legislativa de São Paulo.

Na justificativa, consta que foi observado que a prática da oração traz resultados “extraordinários” e até “milagrosos”. A ideia é que a lei torne “um hábito que o povo passe orar e não criticar as autoridades constituídas”.

Foto: João Carlos Nascimento / O Liberal
Sardelli disse que recebeu proposta de um grupo de pessoas “tementes a Deus”

Sardelli disse que recebeu a proposta dessa lei de um grupo de pessoas “tementes a Deus”. “A ideia foi só criar um dia simbólico para orações pelo executivo, legislativo e judiciário para ver se através de oração e corrente positiva possa ajudar na qualidade dos nossos homens públicos”, afirmou o ex-parlamentar ao LIBERAL.

A reportagem perguntou ao ex-deputado se a lei não fere o princípio de laicidade do Estado, principalmente ao citar a Bíblia. “Sou cristão e entendo que o estado é laico e todas religiões podem se sentir contempladas, já que a bíblia é uma crença mundial. Claro que tem divergências, mas respeito”, declarou. Questionado por quais autoridades reza, Sardelli respondeu que “por todas”.

A legislação causou polêmica em Americana. “Eles têm que criar vergonha, parar de roubar e pensar mais na humanidade. Por que eles não dobram os joelhos e oram? Não olham quanta miséria?”, afirmou a dona de casa Cristiane Pereira, de 45 anos.

O auxiliar Antonio Santos Rodrigues, de 48 anos, disse que não viu sentido na lei. “Eu sou da Congregação Cristã no Brasil e já somos instruídos a orar por todos”, analisou.

O governo estadual sancionou nesta quinta-feira outras três leis com caráter religioso.

“As leis em questão, criadas e aprovadas pelos deputados na Assembleia Legislativa, não ferem o Estado laico, uma vez que são homenagens às representações da sociedade e não determinações imperativas”, justificou o governo.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora