Desbaratização em Americana deve ter início em até 60 dias

Aplicação de veneno será feita pelo DAE e deve combater proliferação de escorpiões na cidade; aracnídeos se alimentam das baratas que vivem no esgoto


O DAE (Departamento de Água e Esgoto) de Americana deve iniciar a aplicação de veneno contra baratas na rede de esgoto em até dois meses. A medida combate a proliferação de escorpiões na cidade, já que esses animais se alimentam de baratas que vivem nas tubulações. O prazo foi divulgado pelo diretor-geral da autarquia, Carlos Cesar Gimenez Zappia, nesta sexta-feira.

Haverá também aplicação de venenos contra ratos. Esta é a primeira vez desde a década de 1990 que a cidade realiza combate dessas pragas urbanas, segundo Zappia.

Foto: João Carlos Nascimento / O Liberal
Até 11 de julho foram registrados 223 acidentes com escorpiões na cidade

“Vamos desbaratizar todos os poços de visitas das redes de esgoto. Estamos falando de um universo de praticamente 10 mil poços de visitas”, explicou o diretor-geral.

“Já está em processo licitatório, inclusive uma determinação do nosso prefeito para que voltasse um processo que era feito em 1990. O edital deve estar pronto ainda esse mês porque depende de cotações e é o que demora mais. O processo licitatório deve estar sendo concluído ainda esse mês, e vai para licitação efetiva e devemos começar no máximo em uns 60 dias”, garantiu Zappia.

A desbaratização da rede de esgoto foi anunciada em dezembro do ano passado pelo prefeito Omar Najar (MDB) como “urgente”, após apelos da população, assustada com o número de escorpiões encontrados no município e pelos recorrentes acidentes.

Até 11 de julho, foram registrados 223 acidentes envolvendo escorpiões na cidade. Em todo o ano passado, foram 484 casos, a maior quantidade registrada desde o início do registro da Vigilância Epidemiológica, em 2007.

O DAE informou ao LIBERAL em fevereiro deste ano que a aplicação de veneno contra baratas só ocorreria no período de estiagem. Na ocasião, a autarquia divulgou que não é recomendado realizar o procedimento nos meses de chuva porque seria “ineficiente”.

“Essas pragas urbanas se proliferam efetivamente mais no período chuvoso, então nós queremos com início do período chuvoso estar fazendo o primeiro processo”, afirmou Zappia.

Polêmica

A medida de combate adotada pela prefeitura nos últimos anos contra escorpiões foi o recolhimento noturno desses animais. Contudo, com o alto índice de acidentes envolvendo crianças e adultos a necessidade de controle químico voltou a ser pauta no ano passado na cidade.

O médico veterinário do PVCE (Programa de Vigilância e Controle de Carrapatos e Escorpiões) de Americana, e doutor em microbiologia pela USP (Universidade de São Paulo), José Brites Neto defendeu, em entrevista concedida em dezembro de 2018, o controle químico de escorpiões. Na ocasião, ele avaliou o recolhimento dos animais como “insuficiente”.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora