Desabastecimento nacional faz Americana ficar sem inseticida

Fornecedora de veneno contra o mosquito Aedes aegypti recolheu produto depois de problemas


O desabastecimento nacional de inseticidas para combate ao mosquito Aedes aegypti já atinge os municípios da região em plena epidemia de dengue.

O motivo é que a fornecedora Bayer precisou recolher 105 mil litros de inseticidas após problemas terem sido identificados.

A possibilidade da suspensão da nebulização em Americana foi adiantada pelo LIBERAL na edição de sábado.

A cidade vive em 2019 a terceira maior epidemia de dengue já registrada. Segundo a Vigilância Epidemiológica do município, são 1357 casos confirmados e cinco mortes suspeitas ligadas à doença. Em Campinas, são 11,3 mil casos.

A previsão do Ministério da Saúde é que o volume de inseticida seja devolvido em junho – o período de maior circulação do vírus vai até maio. A fornecedora do produto e a pasta federal deram diferentes versões sobre o recolhimento do produto.

Segundo o Ministério da Saúde, a fornecedora Bayer recolheu o inseticida para testes e ensaios de qualidade devido a problemas em sua formulação que inviabilizaram seu uso.

Já a empresa disse que identificou que o Ministério havia armazenado o produto em condições inadequadas. Segundo a Bayer, o inseticida estava guardado em desacordo com as recomendações do fabricante, com exposição a temperaturas excessivas e empilhamento irregular das embalagens.

“Mesmo sem ter responsabilidade direta no cenário descrito, de forma voluntária e no sentido de colabora com as autoridades de saúde pública, a Bayer promoveu remoções e recondicionamento de produtos, com o intuito de eliminar riscos nos armazéns e de, na medida do possível, garantir a utilidade dos estoques remanescentes”, informou a empresa ao LIBERAL, nesta segunda-feira. “Além disso, ainda em caráter voluntário, a Bayer decidiu substituir, sem reconhecimento de responsabilidade, 104.800 litros do produto”, finalizou a nota.

O Ministério da Saúde foi questionado sobre a armazenagem do produto, mas citou problemas na produção. A Secretaria Estadual de Saúde, responsável pela distribuição no Estado de São Paulo, disse que segue em diálogo com o órgão federal e aguarda a entrega de nova remessa.

Em Americana, foram nebulizados os bairros Jardim Brasília, São Domingos, Vila Rehder, Jardim América 2, Jardim São José, Jardim São Sebastião, Jardim Nossa Senhora Aparecida, Vale das Nogueiras, Antônio Zanaga, Nova Carioba, Cordenonsi, Cariobinha, São Jerônimo e Santa Maria.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora