07 de agosto de 2022 Atualizado 18:55

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

RESPOSTA

Demitido pelo papa, Padre Leandro quebra silêncio e fala em perseguição

Ex-reitor da basílica de Americana diz ao LIBERAL que demissão se refere a um segundo processo, alega inocência e promete recorrer

Por Rodrigo Alonso

11 de março de 2022, às 19h44

Ex-reitor da Basílica Santo Antônio de Pádua, de Americana, o padre Pedro Leandro Ricardo quebrou o silêncio nesta sexta-feira (11), horas após ter sido demitido pelo Papa Francisco, alegou inocência no caso que motivou a punição e falou em perseguição por parte da Diocese de Limeira, com a qual tinha vínculo.

Depois de três anos sem falar com a imprensa por determinação da Igreja, ele disse, em entrevista ao LIBERAL, que foi absolvido em 2020 no processo canônico sobre a acusação de assédio sexual contra quatro ex-coroinhas em Araras.

Agora ex-religioso nega as acusações feitas contra ele – Foto: Arquivo / O Liberal

Leandro apontou que a demissão se refere a um segundo processo, aberto a partir de uma denúncia feita por um outro fiel, também de Araras.

“Não é uma determinação final porque cabe recurso e existe histórico também de reversão desses decretos, e nós temos materiais suficientes que comprovam a nossa inocência”, ressaltou.

Segundo ele, o denunciante é primo de um padre da Diocese de Limeira e era maior de idade, o que, ainda de acordo com o agora ex-religioso, deveria ter motivado o arquivamento da denúncia. “A denúncia não procede absolutamente em nada”, declarou.

Receba as notícias do LIBERAL no WhatsApp

Leandro afirmou ter se surpreendido com a demissão. “Não tive a possibilidade de defesa. Porque qual seria o passo seguinte? Seriam ouvidas as minhas testemunhas de defesa a respeito desse único denunciante”, declarou.

O padre demitido ainda acusou a diocese de tê-lo perseguido por conta de denúncias que ele fez. “No momento exato vou expor à sociedade todas as denúncias documentais que eu tenho aqui em mãos, e por isso estou enfrentando uma perseguição da Diocese de Limeira, porque eu expus todas essas denúncias ao Vaticano”, comentou.

Procurada pela reportagem, a diocese comunicou que não iria se manifestar sobre as afirmações de Leandro.

Publicidade