Delegado Gazarini se filia ao PSDB e estuda se candidatar a vereador – O Liberal

Delegado Gazarini se filia ao PSDB e estuda se candidatar a vereador

A informação foi confirmada pelo próprio delegado, que recentemente foi homenageado pelo governador e agora colega de partido, João Doria


O delegado da Dise (Delegacia de Investigações Sobre Entorpecentes) de Americana, Luis Carlos Gazarini, se filiou ao PSDB e analisa a possibilidade de se candidatar a vereador. A informação foi confirmada pelo próprio delegado, que recentemente foi homenageado pelo governador e agora colega de partido, João Doria, pela investigação que desarticulou uma facção criminosa envolvida com tráfico internacional de drogas.

Receba as notícias do LIBERAL pelo WhatsApp. Clique aqui e envie uma mensagem para ser adicionado na lista de transmissão!

Foto: Arquivo / O Liberal
Delegado titular da Dise analisa a possibilidade de se candidatar a vereador

De acordo com o presidente do PSDB local, Roger Willians, o partido garantiu para o delegado que ele poderá disputar a eleição caso se decida. “É um candidato especial para nosso time, até por ser quem ele é pelo que representa hoje”, afirmou Roger.
 
E ainda nas eleições municiáis, o PSDB e o DEM estarão juntos nas urnas em Americana nas eleições municipais de outubro. O anúncio feito na última sexta teve o acordo selado entre os presidentes das siglas na cidade, o tucano Roger Willians e o democrata Oswaldo Nogueira.

Ouça o “Além da Capa”, um podcast do LIBERAL

Uma das possibilidades seria o DEM indicar candidato a vice na chapa com os tucanos, que não abrem mão de ter uma candidatura própria ao governo de Americana. O partido cogita Vanderlei Macris, Rafael Macris ou o próprio Roger. A escolha do nome deve ser definida até o final de fevereiro, segundo o presidente tucano.

Relação

O deputado federal Vanderlei Macris (PSDB) disse que as falas do presidente Jair Bolsonaro (PSL) “atrapalham” o andamento de algumas pautas no Congresso Federal. A declaração foi dada na última quarta-feira durante entrevista ao programa Resumo Gold, da rádio FM Gold (94.7).

“O presidente Bolsonaro é um tanto difícil. Porque a gente combina as coisas e de repente desarruma tudo. Ele gosta de falar, declarar, e muitas vezes na contramão daquilo que seria natural pra promover os entendimentos e votar mais rapidamente no congresso. Atrapalha um pouco. Nós resolvemos deixar ele falar o que precisa, e tocar o Brasil lá no Congresso Nacional”, afirmou Macris.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora