Contrato emergencial com aterro deverá ser renovado

Objetivo de economizar com os valores do transporte do lixo ainda não foi atingido mesmo após quase três meses de contrato


Foto: Arquivo - O Liberal
Lixo é levado ao aterro da empresa Engep

A Prefeitura de Americana deve renovar o contrato emergencial firmado com a empresa Engep para destinação do lixo doméstico no aterro sanitário construído na região do Pós-Represa. Ainda de acordo com informações da municipalidade, o objetivo de economizar com os valores do transporte do lixo – visto que o aterro é mais perto que o anterior – ainda não foi atingido mesmo após quase três meses de contrato. A prefeitura tenta obter a economia retroativa.

O contrato emergencial – necessário após a licitação ter sido suspensa diante de três contestações – foi firmado no fim de dezembro, e vence no dia 21 deste mês. Ele prevê destinação mensal de 5,2 mil toneladas de lixo por mês, ou seja, 200 toneladas por dia. O município paga R$ 81,85 por tonelada de lixo, valor menor do que o que era pago para a Estre, de Paulínia, que cobrava R$ 83,93.

Uma semana após a contratação, em entrevista ao LIBERAL, o prefeito Omar Najar (MDB) elogiou o funcionamento do aterro, porque não havia filas para descarregar o lixo, e disse que tentaria negociar com a MB Engenharia, que realiza a coleta dos resíduos e descarta no aterro, uma redução no preço desse transporte.

O município paga R$ 146,50 por tonelada para a MB Engenharia levar os resíduos. E o argumento era que esse preço havia sido calculado até o aterro da Estre, em Paulínia, como destino final. Na época, a empresa disse ao LIBERAL que estudaria a proposta, mas defendeu que a diferença de distância não era tão significativa.

Nesta semana, a prefeitura informou que a licitação se encontra em fase de elaboração e o contrato emergencial deve ser renovado por mais três meses.

Sobre a tentativa de economia, a prefeitura informou que a Secretaria de Obras e Serviços Urbanos elaborou um estudo e cálculo e que a MB foi notificada para se manifestar sobre a revisão do valor contratado com efeito retroativo, mas ainda não se posicionou.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora

Receba nossa newsletter!