Consumo de Etanol supera o da gasolina em Americana

Após recorde de vendas em 2017, gasolina chegou ao seu mais baixo patamar de consumo desde 2010, enquanto etanol registrou aumento de 20,5% na procura


Depois de um 2017 em baixa, o etanol voltou a superar a gasolina na preferência do consumidor no último ano. O combustível teve um aumento de 20,5% na procura em Americana, segundo dados do Anuário de Energéticos por Municípios do Estado de São Paulo, da Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente.

Foram 80,4 milhões de litros de etanol consumidos em 2018 no município, ante 54,1 milhões de litros de gasolina. Após bater o recorde de vendas em 2017, com 76,9 milhões de litros, o combustível derivado do petróleo registrou no ano passado a pior procura desde 2010. Abastecer a álcool é vantajoso quando o litro custa até 70% do preço da gasolina.

Foto: Arquivo / O Liberal
Consumo de etanol supera o de gasolina em Americana

Segundo as fontes ouvidas pelo LIBERAL, o motivo da preferência pelo etanol é o preço. O coordenador do anuário, Reinaldo Almança, afirma que a política adotada pela Petrobras, em 2017, de condicionar o valor dos derivados de petróleo às tendências internacionais ocasionou o aumento do preço da gasolina e, consequentemente, a migração para outro tipo de combustível.

“Gasolina e etanol disputam o mesmo mercado, quando um sobe, o outro desce. A gasolina foi vítima desse processo e ela oscilou para crescimentos acima do etanol ao longo do ano, razão pela qual optou-se pelo consumo de etanol”, disse.

Foto: Editoria de Arte / O Liberal
Consumo de combustível em Americana

Dono de quatro postos de combustíveis em Americana, o empresário Augusto de Cicco diz que o consumo do etanol duplicou no último ano nos estabelecimentos que gerencia. “O poder de compra do cliente, ele vai no que está mais barato, acessível. Por mais que o etanol tem rendimento menor, é a relação de preço mesmo”, ressaltou.

A mudança foi acompanhada nas demais cidades da RPT (Região do Polo Têxtil), já que todas elas tiveram um crescimento no consumo do etanol e queda da gasolina. Hortolândia, por exemplo, teve uma procura 51% maior pelo derivado da cana-de-açúcar na comparação entre 2017 e 2018.

Para o presidente do Recap, o sindicato do comércio varejista de derivados de petróleo de Campinas, Flávio Campos, a alternância na preferência entre combustíveis se dá pela popularização dos veículos flex.

“O consumidor instantaneamente muda o produto que ele quer usar. Nenhum país do mundo tem essa possibilidade de você se adequar financeiramente de acordo com a condição dos dois combustíveis”, destaca.

O combustível mais utilizado em Americana no ano passado foi o óleo diesel, proibido nos veículos de passeio, com 85,6 milhões de litros consumidos.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora