19 de outubro de 2020 Atualizado 17:34

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Eleições 2020

Confiante em liminar, MDB define Erich Hetzl como vice de Ondas

Coligação “Americana Para Todos” tem como bandeiras programa anticorrupção e geração de emprego e renda

Por Leonardo Oliveira

13 set 2020 às 13:45 • Última atualização 16 out 2020 às 10:45

O ex-prefeito Erich Hetzl (Podemos) foi oficializado neste domingo como o vice de Alfredo Ondas (MDB), vereador e ex-presidente da câmara, na corrida pela Prefeitura de Americana.

Mesmo destituída pelo diretório estadual, a executiva municipal do MDB de Americana realizou uma convenção para apresentar a coligação “Americana Para Todos”.

Coligação ‘Americana Para Todos’ foi definida neste domingo – Foto: Divulgação

A chapa terá ainda 47 candidatos a vereadores (23 pelo MDB e 24 pelo Podemos). Cerca de 100 pessoas participaram do encontro, realizado em um prédio da Rua Doze de Novembro. Todas as medidas de segurança, como uso de máscaras e distanciamento social, foram adotadas.

Em entrevista ao LIBERAL, Alfredo Ondas disse ter “convicção absoluta” de que o TRE (Tribunal Regional Eleitoral) dará uma liminar favorável para que a executiva local recupere o comando da sigla na cidade.

“Possivelmente amanhã nós já tenhamos essa liminar. A partir do momento que ela vier, anulando o ato da intervenção, automaticamente ela vai validar toda essa convenção que tivemos hoje”, afirmou.

Mesmo ainda sem uma definição jurídica sobre o caso, o Podemos resolveu cravar sua participação na campanha do MDB também por acreditar “piamente” que o diretório local do MDB vai recuperar o comando do partido em Americana.

“Nós aderimos a essa coligação por achar que é a melhor para Americana hoje. O Alfredo Ondas é um nome de consenso dentro do Podemos, um nome que a gente acredita muito que possa fazer um bom trabalho junto com o Erich. Botamos muita fé na coligação”, afirmou o presidente do partido, Ricardo Hetzl.

Ondas cita como principais objetivos para Americana instituir um programa “anticorrupção”, através do fortalecimento da controladoria interna, e um trabalho “obsessivo” para gerar emprego e renda.

“Americana tem que ter uma política extremamente agressiva de emprego e renda. Sem isso estamos não teremos sucesso. Se Americana for continuar nessa toada, vamos perdendo arrecadação, perdendo receita”, disse.

Delegado, o candidato quer ainda melhorar a segurança. “É a nona cidade do País mais segura, queremos deixar Americana entre as três primeiras. Sou delegado de polícia de carreira, nesse aspecto eu conheço bastante e a gente vai trabalhar muito nisso”.

Contexto
Na semana passada, o diretório local do MDB foi consultado pelo comando do partido na capital para que a sigla em Americana abandonasse a ideia de lançar um candidato a prefeito nas eleições e apoiasse o candidato do PSDB, Rafael Macris.

A tese é de que destituição imposta na quarta-feira (9) aconteceu por conta da negativa do MDB em apoiar o tucano. Legalmente, o comando do partido em Americana está com o deputado estadual Itamar Borges (MDB), que não se pronunciou sobre o caso.

O MDB de Americana argumenta que o diretório era definitivo, e não provisório. Portanto, a frente estadual não poderia ter tomado tal atitude, já que não houve nenhuma infração a determinações do partido a nível nacional.

Publicidade