Compras de última hora movimentam supermercados em Americana

Véspera de Natal é marcada por filas e corredores cheios; supermercados encerram atividades às 19h


Quem deixou para comprar os itens da ceia de Natal para a última hora vai encontrar filas longas e supermercados cheios. O empresário José Aparecido Rodrigues chegou às 9h para garantir todos os itens da ceia. A esposa Izabel acompanhou para dar agilidade nas compras. “Viemos cedo para evitar as filas. Cada um [ele e a esposa] vai para um canto [do supermercado] para ir mais rápido”, explica. Em 40 minutos, o casal saia do supermercado com o carrinho cheio mais quatro sacolas.

O autoatendimento foi uma novidade implantada em um supermercado no São Vito a fim de agilizar as filas na data. “É uma novidade implantada há duas semanas, mas já prevendo o movimento do final de ano, que é grande e acaba gerando muitas filas”, diz o diretor comercial do São Vicente, Mateus Mantovani. São cinco totens disponíveis para autoatendimento de clientes com até 15 volumes.

Foto: João Carlos Nascimento/O Liberal
Véspera de Natal é marcada por filas e corredores cheios

Apesar do movimento na parte da manhã, a expectativa é que o fluxo aumente no final da tarde conforme explica a gerente do Pague Menos, Rafaela Zampieri. “Muita gente está trabalhando agora, no comércio, e só consegue vir às 18h e, não adianta, o pessoal deixa para última hora mesmo”, diz ela. Hoje, véspera de Natal, os supermercados de Americana e região encerrarão as atividades às 19h (uma hora antes do expediente normal).

Promoções pontuais em alguns itens da ceia e facilidades no pagamento (parcelamento maior) foram outras ações adotadas pelas lojas para atrair o cliente na data. Ainda assim, alguns itens da ceia sofreram alteração, conforme constatou a aposentada Elisia Gonçalves Dias que, este ano, se adiantou nas compras para evitar os preços altos na véspera de Natal. “Comprei o peru semana passada e ainda bem, hoje ele estava bem mais caro”, diz ela que voltou ao supermercado na data para comprar os itens da sobremesa.

“A sobremesa tem que ser feita hoje senão não fica boa”, garantiu o empresário Edson Rovina ao comprar os “ingredientes especiais” para o doce. “Hoje só coisinhas que não costumo ter em casa. A compra maior eu fiz na semana passada para garantir preço, garantir o prato da ceia e evitar essa correria”, completa apontando para as filas no supermercado.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora