28 de setembro de 2021 Atualizado 21:52

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Saúde Já

Compra de consultas pela Prefeitura de Americana caiu 27% em 2020

No ano passado, a Prefeitura de Americana pagou por 9.982 atendimentos (R$ 519 mil), 3.698 a menos do que em 2019

Por Ana Carolina Leal

20 jul 2021 às 07:55 • Última atualização 20 jul 2021 às 10:49

O número de consultas particulares compradas pela Prefeitura de Americana para atender pacientes da rede pública de saúde caiu 27% em 2020 em comparação com o ano anterior.

Segundo a administração municipal, no ano passado houve a interrupção, por um período, dos procedimentos e diminuição de oferta devido à pandemia do novo coronavírus (Covid-19).

Em 2020, a prefeitura pagou 9.982 atendimentos (R$ 519 mil), 3.698 a menos que em 2019, quando foram comprados 13.680 (R$ 711 mil). Cada consulta custa R$ 52.

Receba as notícias do LIBERAL no WhatsApp

As contratações são feitas por meio do Programa Saúde Já, que consiste no credenciamento de consultórios e clínicas de diversas especialidades para prestarem atendimento à população, complementando a rede pública de saúde.

O LIBERAL teve acesso aos dados por meio de um requerimento protocolado pelo vereador Dr Daniel (PDT) que pediu à prefeitura informações sobre consultas e exames médicos adquiridos pela administração.

O programa Saúde Já teve início em agosto de 2018. Naquele ano, foram compradas 1.734 consultas. Além da interrupção dos procedimentos por conta da pandemia, a prefeitura informou ainda que em 2020 teve prestador que não renovou contrato, o que acabou influenciando na queda de atendimentos particulares.

Dentro das consultas adquiridas pela administração, as de ortopedia saltaram de 2.531 em 2019 para 4.858 no ano passado, um aumento de 91%. Na contramão, os atendimentos com cardiologistas caíram 72% no mesmo período, passando de 1.604 para 449.

Em relação à ortopedia, a prefeitura argumentou que houve dois chamamentos onde novos prestadores aderiram, aumentando a oferta. Da mesma maneira, um prestador não renovou contrato na área de cardiologia. Em novo chamamento, em julho de 2020, houve adesão de um novo consultório, porém, em quantidade inferior ao ofertado pelo antigo prestador.

Além dessas especialidades, são compradas consultas com oftalmologistas, urologistas, otorrinolaringologistas e neurologistas, entre outros.

Publicidade