29 de junho de 2022 Atualizado 21:50

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Notícias que inspiram

Compartilhando luvas e sonhos

Conheça a história de Vander Batistella, idealizador da Escola de Goleiros Camisa 1, em Americana, que ganhará filme nesta semana

Por Jucimara Lima

24 de abril de 2022, às 11h23

Do sonho de menino à realização do homem, Vander sempre dedicou muito amor ao esporte - Foto: Claudeci Junior - O Liberal.JPG

Assim como boa parte dos meninos brasileiros, Vander Batistella, hoje com 48 anos, idealizador da Escola de Goleiros Camisa 1, também um dia sonhou em ser um jogador de futebol. Primogênito de uma família simples de uma cidade chamada São João do Pau D’Alho, localizada quase na divisa do Estado de São Paulo com o Mato Grosso, a inspiração veio do pai, que quando menino também chegou a atuar.

A princípio, Vander jogava na linha, contudo, um dia seu time ficou sem goleiro. Como na época, ironicamente, ele era o de maior estatura da turma, acabou indo para o gol. Talentoso, o garoto se deu tão bem na posição que acabou despertando a atenção de algumas pessoas. Pela primeira vez na história da cidade, o time infantil havia ido tão longe no campeonato regional e assim surgiu a chance de fazer um teste no Guarani. “Até então, nunca tinha pensado em ser goleiro”, recorda ele, que fez o teste e passou.

Aos 13 anos, saiu de casa com o apoio do pai e muito choro da mãe. “Apesar da distância de 600 km, era meu sonho, eu queria muito aquilo”. A carreira no time campineiro foi até seus 15 anos, quando foi para o Bragantino. Um marco dessa fase foi a vinda dos pais para Americana, cidade que alguns anos depois faria definitivamente parte da vida dele. “Meu aprendizado no Bragantino foi muito bom, porque eu convivia no ambiente profissional e conheci o mestre Mococa”.

Receba as notícias do LIBERAL no WhatsApp

XV de Piracicaba. Após a passagem pelo time de Bragança Paulista, Vander se transferiu para o XV de Piracicaba, clube que marcaria sua vida para sempre. Em Piracicaba, ele se formou na Faculdade de Educação Física da Unimep, se tornou um jogador de futebol profissional aos 20 anos e encerrou precocemente a carreira aos 22, mesma idade com a qual ele iniciou sua trajetória como treinador de goleiros.

Curiosamente, foi a partir de uma frustração que Vander mudou a história de sua vida. Segundo ele, Carlos Galo, outro mestre com o qual ele aprendeu muito, tinha acabado de ser contratado como técnico da categoria sub-20 do XV de Piracicaba e junto com o presidente do clube fez o convite para ele assumir a categoria de base como treinador de goleiros. “O Carlos me disse a verdade que eu não queria escutar, algo que doeu muito naquele momento. Eu não tinha altura para continuar conseguindo êxito no futebol”. Ironicamente, a mesma altura que quando criança colocou Vander como goleiro, anos mais tarde o tirou de campo. “O perfil dos goleiros brasileiros estava mudando, eu peguei essa transição”.

Passado o baque inicial, bom combatente que é, ele aceitou o desafio. “Naquele momento eu entendi, era isso que eu precisava fazer e me prometi: se era para ser treinador de goleiros, eu seria um dos melhores desse País”, o que de fato aconteceu.

Outras passagens. Do XV de Piracicaba, Vander partiu para a Portuguesa, de onde algum tempo depois saiu para trabalhar no Rio Branco de Americana, onde construiu uma linda história de 11 anos. Após o sucesso no Tigre, Vander voltou para o Guarani em 2009, 20 anos após sua saída. “O dia que fui subir no ônibus do Guarani a primeira vez como treinador profissional, me lembrei que quando era criança ficava na porta da saída do vestiário olhando os meus ídolos passarem e sonhando um dia subir naquele ônibus”, comenta ele, emocionado.

Nasce a Escola de Goleiros Camisa 1. O projeto da Escola de Goleiros nasceu em 2002, porém apenas em novembro de 2005 aconteceu a primeira aula. Vander conta que não conseguiu tirar a ideia do papel antes porque as pessoas não acreditavam na ideia. “Me chamavam de louco”, diverte-se.

Após muito batalhar, com o apoio da Secretaria de Esportes de Americana, a aula inaugurou reuniu nada menos que 90 alunos, divididos em dois períodos. Alguns meses depois, em fevereiro de 2006, a primeira escola de goleiros do País ganhou seu terreno.

“Quando o Fioque me trouxe nesse lugar, só tinha um barracão e muito mato. Eu entrei e disse: essa é a nossa terra prometida! Vislumbrei esse lugar transformado”.

O tempo passou, o lugar foi adaptado, o projeto se firmou, ganhou parceiros, apoiadores e hoje tem em sua história a passagem de mais de 4 mil alunos, que, além do futebol, levam da escola verdadeiras lições para a vida.

O projeto da Escola de Goleiros nasceu em 2002 – Foto: Claudeci Junior – O Liberal.JPG

Lançamento do Documentário. A próxima terça-feira (26) será uma data importante para os apaixonados por futebol. Além de ser Dia do Goleiro é a data de lançamento do documentário idealizado pelo próprio Vander, juntamente com o jornalista Alex Ferreira, que também roteirizou “Escola de Goleiros – Nascidos para Defender”.

O filme narra a história do jovem Daniel Fuzato, que atualmente é goleiro da Roma. “Nós, da família da Escola de Goleiros de Americana temos orgulho de ver as carreiras que esses meninos estão construindo”. Agora, o novo objetivo de Vander é transformar o atual centro de treinamento, que hoje é o maior da América Latina, no maior do mundo. Certamente, mais um capítulo de sucesso nessa bela história.

Publicidade