25 de setembro de 2020 Atualizado 14:03

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

RETOMADA

Comerciantes de Americana ficam entre entusiasmo e correria para reabrir

Donos de bares e restaurantes tiveram que correr para preparar os estabelecimentos e comprar insumos para reabrir já neste sábado

Por André Rossi

08 ago 2020 às 08:41 • Última atualização 08 ago 2020 às 10:10

Com o avanço da região para a fase 3 (amarela) do Plano São Paulo, donos de bares e restaurantes de Americana se preparam para voltarem a atenderem seus clientes de forma presencial já neste sábado (8).

Há entusiasmo pela retomada, mas também correria para preparar os estabelecimentos e comprar insumos.

A reclassificação foi anunciada nesta sexta-feira (7) pelo governo paulista e, de forma excecional, entra em vigor hoje em todo o Estado. Até então, as atualização eram anunciadas de sexta-feira e passavam a valer somente na segunda-feira.

A liberação antecipada aconteceu por conta do Dia Dos Pais, celebrado neste domingo (9). O decreto do prefeito Omar Najar (MDB) regulamentando o funcionamento dos setores será publicado hoje em edição extraordinária do Diário Oficial.

Donos de restaurantes se movimentam para preparar os estabelecimentos e comprar insumos – Foto: Marcelo Rocha / O Liberal

Assim que soube do avanço da região, o dono da churrascaria Prenda Gaúcha, Reinaldo Nascimento, foi até Campinas para comprar carnes para a reabertura. A ideia é funcionar hoje e amanhã, das 11h às 15h.

“A gente ficou sabendo só depois do meio dia e aí fica difícil você se preparar com toda a parte da carne. As nossas não são compradas em açougue. Nós trabalhamos com carne que vem direto do frigorífico, embalada a vácuo”, explicou Reinaldo.

Critérios
Segundo as diretrizes do Plano São Paulo, bares e restaurantes podem atender com capacidade limitada a 40% e por seis horas. O consumo local só é permitido até às 17 horas.

Se a região permanecer 14 dias na fase amarela, o horário limite passa a ser até às 22 horas. O período de funcionamento segue seis horas.

O proprietário do BarOne, Alexandre Biermann, entende que o formato ainda não é o ideal. No entanto, a possibilidade de voltar a receber clientes é comemorada.

“É um alívio porque pelo menos a gente vai poder abrir, ter gente frequentando o local. Para o meu segmento em particular é ruim, porque meu bar é noturno”, comentou Alexandre.

De acordo levantamento da Abrasel (Associação Brasileira de Bares e Restaurantes), cerca de 25% dos comerciantes da RMC (Região Metropolitana de Campinas) não vão retomar o atendimento presencial nesse momento.

É o caso do Kintal Lanches, em Americana. Um dos proprietários da lanchonete, Fernando Antônio Custódio, disse que só vão manter o delivery por enquanto.

“Vamos confiar que o pessoal não aglomere nesse período que vai entrar para a gente não regredir de fase. Todo mundo está cansado de ficar em casa, mas vamos confiar que vamos passar por esses 14 dias e retomar nossas atividades normais”, disse Fernando.

Publicidade