28 de novembro de 2020 Atualizado 21:44

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Americana

Comerciantes cobram maior agilidade por mudança no Amadeu Elias

Grupo se reuniu neste sábado com faixas para pedir novamente que viaduto volte a ter dois sentidos de direção

Por Leonardo Oliveira

26 jul 2020 às 08:37 • Última atualização 26 jul 2020 às 19:25

Um movimento foi realizado na manhã deste sábado por comerciantes do Jardim Colina, em Americana, para cobrar uma maior agilidade da prefeitura na análise de possíveis mudanças no Viaduto Amadeu Elias.

Comerciantes providenciaram faixa para protestar sobre a situação – Foto: Marcelo Rocha/O Liberal

Os lojistas se mobilizam desde o início do ano para pressionar a volta dos dois sentidos no dispositivo viário. O argumento é de que, desde outubro de 2018, quando o Amadeu Elias passou a ter mão única de direção, no sentido Centro-Bairro, as vendas para os comércios da região caíram.

“Com essa pandemia piorou ainda mais o faturamento. Em uma quinta-feira a tarde você não vê uma alma viva. O prefeito poderia ouvir a voz da população, a voz dos comerciantes”, afirmou o dono de uma pastelaria da Avenida Paulista, Mário Simões.

Em janeiro, o prefeito Omar Najar (MDB) pediu um estudo para o Crea-SP (Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Estado e São Paulo) sobre a capacidade física do viaduto para comportar a passagem de três veículos de forma simultânea, em duplo sentido.

Uma das possibilidades analisadas pela prefeitura era instalar uma passarela de pedestre ao lado do Amadeu Elias e liberar a faixa exclusiva no sentido Bairro-Centro, que hoje é destinada somente aos bombeiros, para a circulação de veículos leves.

A medida, porém, só será implantada se o estudo da prefeitura apontar que o elevado de fato aguenta o fluxo nas três pistas de maneira simultânea. Até o momento, não há informações se esse estudo já foi finalizado e quais as ações que serão tomadas pela prefeitura.

“É muito nítido o impacto econômico. A gente pode afirmar sem medo que o impacto gerou a falência de muitos comércios. Mesmo mantendo essa mão única, existem mil formas de compensação que não foram conversadas”, afirmou o comerciante Paulo Aguiar.

Questionada, a assessoria de imprensa da Prefeitura de Americana informou que poderia se manifestar sobre o movimento somente na segunda-feira. “Vale destacar que essa questão vem sendo avaliada pela prefeitura e qualquer decisão será tornada pública no momento em que ocorrer”, diz a nota enviada.

Podcast Além da Capa
O contexto da DRS (Diretoria Regional de Saúde) de Campinas definiu o avanço de todos os seus municípios à fase laranja do Plano São Paulo, conforme anúncio do Estado feito nesta sexta-feira (24). Entretanto, quais são as particularidades que dão o contexto de Americana, em meio à pandemia do novo coronavírus (Covid-19), neste momento? Nesse episódio, o editor Bruno Moreira conversa com os repórteres George Aravanis e Rodrigo Alonso sobre tal cenário.

Publicidade