Com porte de arma vencido, 69 guardas vão deixar as ruas

Número corresponde a 22% da corporação, que tem 313 patrulheiros; renovação foi solicitada à PF no dia 12 de fevereiro


Foto: Arquivo / O Liberal
úmero corresponde a 22% da corporação, que tem 313 patrulheiros

A Gama (Guarda Municipal de Americana) vai retirar das ruas 69 guardas em virtude de porte de arma vencido. O número corresponde a 22% da corporação, que tem 313 patrulheiros. Segundo a Guarda, isso não afetará o patrulhamento.

De acordo com a prefeitura, a renovação foi solicitada à PF (Polícia Federal) no dia 12 de fevereiro. Por meio de sua assessoria de imprensa, o governo municipal disse que recebeu da PF a informação de que a demora ocorreu por questões administrativas, em virtude de mudanças no Sistema Nacional de Armas. Ontem, o diretor da Gama, Marcos Guilherme, tentava agilizar o processo, segundo a assessoria.

De acordo com a Gama, o patrulhamento não será afetado. É que, segundo afirma o governo municipal, todo ano a corporação realiza um estágio de qualificação profissional, ou seja, parte do efetivo já fica de fora das ruas para isso.

Por isso, a Guarda vai escalar, neste ano, esses 69 guardas com os portes vencidos primeiro. A administração não informou até que dia esses patrulheiros deixarão as rondas. O LIBERAL tinha perguntado quantos portes venceriam até o fim do mês que vem. A prefeitura só respondeu que 69 deixarão o patrulhamento.

Presidente de uma associação de guardas de Americana, Rogério Vanzo diz que o comando deveria ter agido antes. “Sabedores de que os portes venceriam, medidas deveriam ter sido tomadas, inclusive jurídicas, para se evitar o problema”, afirmou o patrulheiro.

O LIBERAL tentou contato com a PF. Na assessoria de imprensa da corporação em São Paulo, a orientação foi procurar a delegacia de Piracicaba. Na cidade, um funcionário informou que a Superintendência da PF em São Paulo é quem cuida do assunto. Após às 17 horas, a reportagem não conseguiu mais contato no local indicado.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora