Cobertura vacinal da pentavalente está abaixo do ideal – O Liberal

Cobertura vacinal da pentavalente está abaixo do ideal

Vacina esteve em falta nos postos de saúde de Americana no segundo semestre do ano passado, mas a distribuição foi regularizada há cerca de um mês


O índice de cobertura da vacina pentavalente em Americana ainda está em 78,6%, abaixo dos 95% preconizados pelo Ministério da Saúde. O imunizante – que protege contra cinco doenças, inclusive meningite – esteve em falta na rede pública do País no segundo semestre do ano passado.

O desabastecimento ocorreu após reprovação pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária dos lotes recebidos. A distribuição foi normalizada na segunda quinzena de janeiro.

“O fato de a pentavalente estar com uma cobertura um pouco abaixo se deve à falta que ocorreu a partir de setembro”, afirmou a Prefeitura de Americana.

Receba as notícias do LIBERAL pelo WhatsApp. Envie uma mensagem para ser adicionado na lista de transmissão!

Foto: João Carlos Nascimento / O Liberal
Clínicas ouvidas pelo LIBERAL observaram esta semana um aumento na procura pelas vacinas contra meningite entre 40% e 80%

A pentavalente protege contra difteria, tétano, coqueluche, hepatite B e infecções por Haemóphilus influenzae tipo B. Ela também é uma das três vacinas que protegem contra a meningite e que estão disponíveis na rede pública de saúde.

As outras duas são meningo C (cobertura em 90,1%) e pneumo 10 (89,9%). Essas três vacinas estão disponíveis nos postos de saúde e protegem contra o tipo mais comum de meningite no Brasil – a bacteriana tipo C, que representa mais de 60% dos casos. Há também a BCG, que protege contra a meningite tuberculosa (cobertura em 133%).

A estudante Thaila Vitória Delafiori, de 12 anos, morreu na última terça-feira com diagnóstico clínico de meningite. Uma amostra de sangue da paciente, que morava na Vila Amorim, em Americana, está sendo analisada pelo Instituto Adolfo Lutz, na capital paulista. Se for confirmado o caso, essa seria a primeira morte pela doença este ano na cidade.

Na rede privada, estão disponíveis dois tipos de imunizantes, que protegem no total contra cinco tipos de meningites bacterianas. As vacinas são ACWY (com preços que variam de R$ 300 a R$ 400 a dose) e a meningite B (de R$ 500 a R$ 600).

Clínicas ouvidas pelo LIBERAL observaram esta semana um aumento na procura pelas vacinas contra meningite entre 40% e 80%.

“Infelizmente, a procura vem só em épocas de surto, de óbito, só procuram a imunização assim”, lamentou a gestora do setor de vacina do Cincor, em Americana, Andrea Calil Jorge.
Também houve um desabastecimento na rede particular no ano passado na cidade.

Enfermeira técnica responsável pela clínica Ciame, em Americana, Roseley Picasso credita a falta nacional dos imunizantes a um “efeito dominó”, após ter sido divulgado que a morte do neto do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva havia sido por meningite (um exame apontou que, na verdade, ele sofreu uma infecção generalizada).

Além da Capa, o podcast do LIBERAL

Confira o episódio desta semana do podcast Além da Capa, que trata sobre a entrega do novo Pronto Socorro do Hospital Municipal Dr. Waldemar Tebaldi, em Americana. A missão deste episódio é explicar os 11 anos que se passaram entre o anúncio e a entrega da obra:

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora