Chegada de coronavírus é inevitável, diz Omar

Prefeitura de Americana decretou Estado de Atenção com objetivo de postergar a chegada da doença na cidade


A Prefeitura de Americana decretou Estado de Atenção na cidade, adotando medidas para tentar postergar ao máximo a chegada do coronavírus no município. Contudo, para a Vigilância Epidemiológica e para o próprio prefeito, é inevitável que a doença chegue à cidade.

Receba as notícias do LIBERAL pelo WhatsApp. Envie uma mensagem para ser adicionado na lista de transmissão!

“A medida (Estado de Atenção) é parte do nosso esforço para reduzir o impacto do Covid-19 na nossa cidade. Sabemos que é uma pandemia e que é inevitável termos casos no município, mas temos de trabalhar para que a população fique o mais segura possível. Precaução e prudência são fundamentais nesse momento, e é para isso que estamos trabalhando no momento”, disse o prefeito de Americana, Omar Najar (MDB), por meio de nota.

Coordenadora da Vigilância Epidemiológica, Simone Maciel disse ao LIBERAL que as medidas adotadas têm como objetivo atrasar a chegada do coronavírus à cidade o máximo possível.

“Impedir que doença chegue é um pouco difícil, a gente observa a região, cada dia aumentando o número de casos. Mas podemos criar estratégias que permitam que esse número de casos não avance ao longo do tempo”, avaliou a coordenadora.

Por meio do decreto, a prefeitura determinou a suspensão gradativa de aulas a partir do dia 23 de março e faltas abonadas desde segunda-feira; proibição de eventos que reúnam mais de 100 pessoas; restrições de visitas em hospitais, casas de repouso e abrigos. As férias de todos os servidores da saúde foram suspensas.

Saiba tudo sobre o coronavírus, o que ele provoca e como se prevenir

Simone disse que o Comitê de Crise criado para lidar com a situação no município está atento à situação e que pode propor novas medidas.

Nesta terça-feira, vai ocorrer uma reunião para organização do atendimento de casos dentro do serviço público, resgatando alguns fluxos de procedimentos.

“O decreto não é engessado. Acredito que se futuramente identificar casos positivos no município, talvez as restrições sejam ampliadas para outros segmentos”, finalizou Simone.

Além da Capa, o podcast do LIBERAL

A edição desta semana do podcast “Além da Capa” fala sobre a pandemia do Covid-19, o novo coronavírus, e seus impactos nas cidades que fazem parte da RPT (Região do Polo Têxtil). Ouça:

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora