Centro Dia vai atender até 80 pessoas

Apae assumiu o espaço no início de setembro, ampliando a capacidade de atendimento e focando em adultos com deficiência


Foto: Marcelo Rocha - O Liberal.JPG
Banov montante repassado pelo município cobre cerca de 65% dos custos da Apae

O Centro Dia de Americana está sob o comando da Apae (Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais) desde o dia 2 de setembro. A entidade venceu o chamamento público para administrar o espaço, ampliou a capacidade de vagas para 40 em período integral – ou 80 em meio período – e passou a atender adultos com deficiência.

A Prefeitura de Americana abriu em março um chamamento público para prestação de serviço socioassistencial de proteção social para pessoas adultas com deficiência, idosos e suas famílias. Até então, o município não contava com um espaço voltado a esse público, e apenas os idosos eram atendidos no Centro Dia.

Apenas a Apae oferece atividades a pessoas adultas com deficiência, mas o atendimento é por meio período e durante dois dias na semana. Com o convênio celebrado entre a entidade e Centro Dia, essa demanda deve ser atendida. Atualmente, há 21 pessoas que frequentam o espaço, sendo 19 idosos e duas com deficiência.

“As famílias precisam desse serviço, estamos há pouco mais de um mês e a tendência é que aumente esse número de pessoas, a gente sabe que vulnerabilidade existe. A gente acompanha no outro programa (na sede da Apae) a pessoa com deficiência precisando cuidar do familiar idoso. E os pais estão envelhecendo, morrendo, essas pessoas vão ficar com quem?”, exemplificou Lucia Helena Cesar Ferreira, diretora de desenvolvimento social da Apae.

A orientação às famílias que precisam do serviços é buscar um Cras (Centro de Referência da Assistência Social) ou Creas (Centro de Referência Especializado de Assistência Social) para que o caso seja avaliado.

Desde quando a Apae pegou as chaves do Centro Dia, já promoveu reformas de acessibilidade, com rampas e corrimões, além de pintura e troca de portas.

Além disso, tem promovido oficinas que estimulam autonomia, resgatam memórias e promovem interação social. Entre as atividades novas que têm sido realizadas pela Apae estão o cultivo de uma horta e rodas de conversas na Praça Tio Gaga, que fica em frente ao Centro Dia.

São 13 funcionários contratados pela Apae, entre assistente social, psicólogo, educador, cuidador e auxiliar de cuidador.

“Estamos muito motivados apesar de todos os desafios. Aumentamos o portfólio de serviços da nossa Apae nos dá argumentos para crescer em todos os aspectos, inclusive arrebanhar mais colaboradores, mais contribuintes, tudo em prol do município”, declarou Anastasio Banov, presidente da Apae.

O termo de colaboração assinado entre a prefeitura e a Apae tem duração de um ano, podendo ser prorrogado. Para execução do serviço, o município vai repassar R$ 540 mil à entidade, divididos em 12 meses. Esse valor tem origem federal (R$ 280 mil) e municipal (R$ 260 mil).

Banov explicou que o montante repassado pelo município à Apae (incluindo os atendimentos da sede, localizada na Avenida Brasil) cobre cerca de 65% dos custos da entidade, que depende de doações, eventos e colaboração da comunidade para “fechar as contas”.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora