Autônoma tem WhatsApp clonado após receber ligação de golpistas

Estelionatário se passou por um suposto atendente da OLX e utilizou a lista de contatos da vítima para pedir dinheiro em nome dela na noite de terça


Uma autônoma de 27 anos, moradora de Americana, teve o WhatsApp clonado na noite desta terça-feira (17), após receber uma ligação de um rapaz que se identificava como atendente a OLX. O estelionatário mandou mensagens para a lista de contato da vítima, pedindo dinheiro em nome dela.

A mulher havia criado um anúncio no site para vender seu veículo e recebeu uma ligação de uma pessoa que, se passando por funcionário da plataforma, pediu para a vítima digitar um código para ativar o anúncio.

Foto: Guilherme Magnin / O Liberal
O caso foi registrado na CPJ (Central do Polícia Judiciária) de Americana

Depois disso, seu irmão a procurou perguntando se ela precisava de dinheiro, pois tinha recebido uma mensagem da autônoma solicitando uma quantia, não informada no boletim de ocorrência. Vários contatos relataram o mesmo pedido, com a indicação de uma conta bancária onde o depósito deveria ter sido feito.

Receba as notícias do LIBERAL pelo WhatsApp. Clique e envie uma mensagem

Por isso, a mulher resolveu registrar um boletim de ocorrência na CPJ (Central de Polícia Judiciária) de Americana. A Polícia Civil deve investigar o caso. Outros casos como esse foram registrados na cidade nos últimos meses.

Em maio, em resposta a uma das ocorrências, a OLX disse que a solicitação de códigos de segurança ou dados cadastrais não é uma prática adotada pela empresa em nenhuma situação, informando ainda que nunca pedirá informações de acesso à conta através de chat, telefone, SMS, WhatsApp e redes sociais.

Ouça o podcast Além da Capa, produzido pelo LIBERAL

A empresa disponibiliza um botão de denúncia em todos os anúncios e contatos no chat, para que qualquer pessoa possa relatar práticas irregulares e, desta forma, garantir o banimento de usuários que violarem as normas da OLX.

Outros casos

Na segunda-feira (16), um golpe que também envolvia o nome da OLX vitimou uma assistente administrativo de 29 anos, de Santa Bárbara d’Oeste, que registrou um boletim de ocorrência contando ter perdido R$ 4 mil, ao dar entrada para supostamente comprar uma motocicleta.

Uma atendente da CPJ (Central de Polícia Judiciária) de Americana relatou à reportagem que registrou cerca de 30 casos semelhantes nos últimos três meses na cidade. Para o delegado Gelson Aparecido de Oliveira Barreto, de Santa Bárbara, isso acontece pela falta de cautela dos compradores.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora