Após suspender sistema radial, prefeito cobra frota com 80 ônibus

Número de veículos rodando na cidade, conforme estipulado em contrato, não é cumprido pela VPT como mostrou LIBERAL com exclusividade


O descumprimento da exigência de frota de 80 ônibus, mais sete reservas, estipulada no aditamento do contrato de concessão do transporte público de Americana, que veio à tona na última sexta-feira em meio à polêmica sobre o novo sistema adotado pela VPT (Viação Princesa Tecelã), agora está no foco do prefeito Omar Naja (MDB), que relatou ter exigido da empresa que componha o “mais rápido possível” a frota, que continha, até a última informação prestada, sexta-feira, 67 coletivos rodando. A concessionária não informou novamente qual o número de veículos em uso.

A informação dos 67 coletivos surgiu em reunião realizada entre a VPT e um grupo de vereadores, na última sexta. Conforme mostrou o LIBERAL, o número está abaixo do que ficou estabelecido no aditamento do contrato, feito em 2016, quando se estipulou que a frota do município tivesse 80 coletivos, mais sete reservas. Na segunda, após veiculação de reportagem, a VPT colocou ônibus amarelos em circulação, mas não informou quantos.

Foto: Arquivo / O Liberal
No Terminal de Americana, insatisfação com a situação do transporte é constante entre os usuários

Desde então, a reportagem questiona a empresa e também a prefeitura sobre essa situação, e a única manifestação sobre isso ocorreu nesta quarta-feira, em entrevista com o prefeito. “Eles têm que atender. Se o contrato diz que tem que ser 80 veículos, tem que ser 80 veículos. Já cheguei a falar que tem que cumprir. Ou eles cumprem o contrato, ou vamos entrar com outro processo na Justiça”, afirmou o prefeito, que citou inclusive o fato de a empresa estar operando no município por conta de uma liminar que impediu a Administração de contratar emergencialmente outras duas concessionárias para assumir as 40 linhas da cidade.

Na semana passada, a empresa entregou ofício ao prefeito prometendo a renovação de 30 coletivos até dezembro, com a compra de veículos zero-quilômetro, e Omar afirmou que irá cobrar, assim como cobrará a frota de 80 veículos. “Vamos ver onde foram as falhas [do sistema radial], e quero ver os ônibus, contar, é obrigação deles cumprir”, disse.

O LIBERAL tornou a questionar a VPT sobre o número de ônibus amarelos colocados em circulação e também qual é a frota atual utilizada no município, mas pela quarta vez a empresa omitiu a informação. A nota informou apenas que, mesmo com a revogação do sistema radial, “os veículos amarelos continuarão em operação e serão adequados ao padrão exigido pela administração”.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora

Receba nossa newsletter!