Após quatro cirurgias, sobrevivente de acidente na SP-304 recebe alta

Vendedor de 26 anos ficou dez dias internado; aos policiais, ele disse que deixou seu funcionário dirigir o carro, mesmo sem CNH e após ter bebido


Foto: Rodrigo Alonso / O Liberal
Homem era dono do Fiat Doblò dirigido por seu funcionário, Deivid Miguel Barbosa, 18, morto na colisão.

O sobrevivente do acidente na Rodovia Luiz de Queiroz (SP-304) que vitimou duas pessoas na noite do dia nove de maio, em Americana, recebeu alta do hospital no último domingo (19). O vendedor de 26 anos ficou internado por 10 dias e foi submetido a quatro cirurgias, segundo a Prefeitura de Americana.

O homem era dono do Fiat Doblò dirigido por seu funcionário, Deivid Miguel Barbosa, 18, morto na colisão. Em relato aos policiais, segundo o boletim de ocorrência, o vendedor admitiu que sabia que Deivid não tinha CNH (Carteira Nacional de Habitação) e disse que o jovem tinha bebido, mas mesmo assim deixou que dirigisse o carro.

O acidente ocorreu na altura do quilômetro 130 da rodovia, na altura de Americana, quando o Doblò invadiu a pista contrária no sentido Rodovia Anhanguera (SP-330) e bateu em um Chevrolet Meriva, às 22h10. O condutor desse veículo, o professor de educação física Diogo Souza da Silva, 34, morreu na batida.

O vendedor foi socorrido ao Hospital Municipal Dr. Waldemar Tebaldi, em Americana. Foi cogitada uma transferência para o Hospital Santa Casa de Santa Bárbara d’Oeste, cidade natal da vítima, mas não havia vaga.

No dia 14, o homem foi submetido à cirurgia nos dois braços, uma no úmero direito e outra no antebraço esquerdo. Já no dia 17, mais dois procedimentos cirúrgicos, no tornozelo e na tíbia. A alta hospitalar ocorreu no domingo.

O LIBERAL tentou entrar em contato com o vendedor por telefone. A ligação foi atendida por seu pai, que disse que o filho não daria entrevista.

EXAMES. De acordo com a SSP (Secretaria de Segurança Pública), o caso é investigado pela CPJ (Central de Polícia Judiciária) de Americana, que realiza oitivas com testemunhas.

A polícia aguarda ainda o resultado de laudos de exames necroscópicos, toxicológicos e de dosagem alcoólica dos envolvidos. Não há um prazo definido para sair o resultado.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora

Receba nossa newsletter!