Americanense morta já tinha acusado companheiro de agressão

Agressão contra a americanense Jéssica Alves Teixeira, de 28 anos, assassinada em Limeira na noite de 31 de dezembro, teria ocorrido em julho de 2018


Jéssica Alves Teixeira, de 28 anos, americanense morta pelo companheiro Sidney Segreto, 39, na noite do dia 31 de dezembro, em Limeira, tinha acusado o homem de agressão e ameaça em julho de 2018. O caso foi registrado na delegacia de Ilha Solteira, mas Jéssica não prosseguiu com a queixa. Estudante de administração de empresas, a americanense foi sepultada nesta quinta-feira (2), no Cemitério da Saudade.

Sidney, conhecido como Peruca, deu um tiro na cabeça após disparar na companheira, segundo a SSP (Secretaria Estadual de Segurança Pública). O quadro de saúde do homem era gravíssimo na tarde desta quinta, segundo a Santa Casa de Limeira, sendo que ele não resistiu e morreu.

Foto: Reprodução - Facebook
Jéssica é natural de Americana, mas morava em Ilha Solteira (SP) com o companheiro

Jéssica morava em Ilha Solteira (SP) – que fica a 543 quilômetros de Americana – com o companheiro, dono de empresas de inspeção veicular.

Receba as notícias do LIBERAL pelo WhatsApp

O boletim de ocorrência da agressão de 2018 é citado em um processo envolvendo Sidney e a ex-esposa sobre a guarda do filho deles. O advogado da ex-mulher dele citou no processo trechos do registro policial feito por Jéssica. A peça narra que, após uma festa, Sidney xingou Jéssica, disse que ia “acabar com ela” e a agrediu com um soco no rosto, empurrão e chutes.

A reportagem não conseguiu contato com a polícia de Ilha Solteira, mas a elaboração do boletim de ocorrência foi confirmada também por uma pessoa que tinha contato com Jéssica e Sidney e que não quis ser identificada.

Ouça o “Além da Capa”, um podcast do LIBERAL

Os dois na época eram noivos, de acordo com o relato. Eles haviam iniciado um relacionamento em julho de 2016 e foram morar juntos em maio de 2017.

O crime

No dia da morte de Jéssica, Sidney e a companheira teriam começado a discutir em uma festa de amigos no Jardim das Palmeiras, em Limeira, e foram embora em uma caminhonete S10.

No trajeto, ele teria perdido o controle do veículo e bateu em um barranco. Segundo a SSP (Secretaria Estadual de Segurança Pública), o assassino atirou em Jéssica e depois disparou contra a própria cabeça. A americanense deixa um filho.

A Faisa (Faculdade de Ilha Solteira), onde Jéssica cursava o oitavo semestre de administração de empresas, divulgou uma nota lamentando a morte da estudante.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora