27 de setembro de 2021 Atualizado 10:26

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Americana

Americana registra mais dois óbitos e totaliza 775 vítimas do coronavírus

Hospitais de Americana registram um total de 80 internados nesta terça-feira, dos quais 48 estão com respiradores

Por Marina Zanaki

27 jul 2021 às 16:06 • Última atualização 27 jul 2021 às 16:08

A Secretaria de Saúde de Americana informou nesta terça-feira (27) mais duas mortes pelo novo coronavírus (Covid-19), totalizando 775 vítimas da pandemia. Os pacientes eram:

  • Mulher, 84 anos, moradora do bairro Jardim Paulistano, sem informações de doenças preexistentes, que estava internada no Hospital Municipal e faleceu no dia 23 de julho;
  • Mulher, 60 anos, moradora do bairro São Jerônimo, portadora de hipertensão arterial, que estava internada no Hospital Municipal e faleceu no dia 25 de julho.

Foram informados ainda 87 novas infecções. Com essas atualizações, a cidade registra 25.411 casos positivos, sendo 48 internados, 775 óbitos, 620 em isolamento domiciliar e 23.968 recuperados.

Internações em queda
Os hospitais de Americana registram um total de 80 internados nesta terça-feira, dos quais 48 estão com respiradores. O número representa uma queda expressiva em relação aos meses anteriores. Desde 9 de março esse total não ficava abaixo dos 100 internados e no meio de junho ultrapassou os 200.

A situação é semelhante ao observado no Departamento Regional de Saúde de Campinas, do qual 42 municípios fazem parte, incluindo os cinco da RPT (Região do Polo Têxtil).

Levantamento do Observatório PUC-Campinas aponta que, entre os dias 18 e 24 de julho, foram notificadas 8,7 mil novas contaminações, 19,4% a menos em relação à semana anterior. No caso das internações, a variação foi negativa em mais de 16% após 1.015 pessoas terem sido hospitalizadas no período.

Para o infectologista André Giglio Bueno, professor de Medicina da PUC-Campinas, os resultados aliviam o sistema de saúde de toda a região, pressionado nos últimos meses em razão das taxas elevadas de ocupação de leitos de UTI. Ele lembra que cidades como Campinas ainda exibem médias altas, superiores a 80%, fato que demanda cautela por parte da população.

A queda observada na região é resultado, segundo especialistas, do avanço da vacinação contra Covid.

Ocupação por hospitais
No Hospital Municipal, a taxa de ocupação é de 53,34% para leitos com respiradores (de 30 no total, 16 ocupados) e 37,15% sem respiradores (de 35 no total, 13 ocupados).

No Hospital São Lucas, a taxa de ocupação é de 100% para leitos com respiradores (de 10 no total, 10 ocupados) e 56,25% sem respiradores (de 16 no total, 9 ocupados).

No Hospital São Francisco, a taxa é de 83,34% para leitos com respiradores (de 12 no total, 10 ocupados) e de 35,72% sem respiradores (de 14 no total, 5 ocupados).

No Hospital Unimed, a taxa é de 66,67% para leitos com respiradores (de 18 no total, 12 ocupados) e de 45,46% de leitos sem respiradores (de 11 no total, 5 ocupados).
 

Publicidade