Americana tem duas mortes suspeitas por febre amarela

Casos ainda podem ser dengue, febre maculosa ou leptospirose; Instituto Adolfo Lutz vai apurar


O Instituto Adolfo Lutz investiga duas mortes suspeitas por febre amarela, dengue, febre maculosa ou leptospirose ocorridas na sexta-feira (4) e sábado (5) no Hospital Municipal Dr. Waldemar Tebaldi, em Americana. Conforme informações da Secretaria de Saúde, a Vigilância Epidemiológica foi comunicada dos óbitos, cujas causas não foram confirmadas, e por isso amostras laboratoriais foram encaminhadas ao instituto.

Um dos pacientes, um homem de 53 anos, morador do bairro São Vito, deu entrada no HM na quinta-feira (3), com febre, mal-estar, dor abdominal, dores musculares e convulsão. Ele ainda apresentava predisposição para hemorragias, já que estava com taxa de plaquetas muito baixa. O paciente morreu no sábado (5). De acordo com familiares, nos últimos 15 dias ele esteve em uma pescaria, porém não souberam informar o local exato.

O outro paciente, também um homem, de 25 anos, morador do bairro Jardim São Paulo, foi internado também na quinta, e morreu na sexta (4). Ele apresentava febre, náuseas, dores no estômago, vômito, dor abdominal, dores musculares e prostração. A família informou que ele esteve recentemente em uma área rural, mas a vigilância ainda não conseguiu dados sobre a exata localização. Neste caso foram colhidas amostras para sorologia referente à febre maculosa e febre amarela.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora

Receba nossa newsletter!