22 de abril de 2021 Atualizado 21:19

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Covid-19

Americana suspende retorno das aulas presenciais na rede municipal

Decisão foi tomada em função do aumento de casos de Covid-19; situação será reavaliada em 15 dias

Por André Rossi

25 fev 2021 às 19:04 • Última atualização 26 fev 2021 às 10:50

A Prefeitura de Americana cancelou o retorno das aulas presenciais da rede municipal, que estava previsto para a próxima segunda-feira (1º). A decisão foi tomada nesta quinta-feira (25), pelo Comitê de Crise da Covid-19, por causa do aumento de casos da doença “e a possível alta nos próximos dias”.

“A situação será reavaliada dentro de 15 dias, podendo as aulas presenciais serem retomadas ou seguirem suspensas de acordo com a situação em que o município se encontrar”, afirmou a prefeitura, em nota.

O secretário de Educação de Americana, Vinicius Ghinizi, já havia dito ao LIBERAL na quarta-feira (24) que o assunto seria debatido pelo comitê. Dentro da comunidade escolar, há o receio de se retornar para a sala de aula num momento de aumento de casos.

O LIBERAL no seu e-mail: se inscreva na nossa newsletter

A decisão do comitê não afeta as redes estadual e particular. O retorno presencial em ambas ocorreu no dia 1º de fevereiro, com ocupação de 35% nas salas de aula e rodízio.

Na última terça-feira (23), a câmara sediou uma audiência pública para discutir a volta às aulas. A preocupação por conta da aceleração da pandemia tomou conta do debate. O cenário epidêmico não era considerado o mais ideal para o retorno pelo médico infectologista Arnaldo Gouveia, que também é membro do comitê.

“Se a gente tivesse conversado na segunda-feira da semana passada, eu diria que sim. Hoje, provavelmente não. Está com todos os indícios de que nós vamos ter uma recrudescência no número de casos na região essa semana. Já está acontecendo. Estamos vivendo isso agora”, comentou Arnaldo na oportunidade.

Receba as notícias do LIBERAL no WhatsApp

Ghizini apontava que as escolas municipais estavam preparadas para o retorno. No entanto, deixou claro que mudanças poderiam ocorrer caso o comitê entendesse ser necessário.

Responsável pela convocação da audiência pública, a vereadora Professora Juliana (PT) celebrou a suspensão do retorno presencial e elogiou a decisão “corajosa” da prefeitura em recuar.

“Traz um alento, além de trazer uma sensação de ‘ufa’, alívio, pelo menos provisória. Não sei até quando, mas é um baita sinal de que é uma administração onde vai prevalecer o bom senso”, comentou Juliana.

A vereadora também agradeceu aos munícipes que participaram da audiência. A reunião durou mais de três horas e teve representantes da prefeitura, da Apeoesp (Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo) e pais de alunos.

“Achei o resultado da audiência muito bom e sei que esse resultado impacta também na decisão que a prefeitura tomou hoje. De alguma maneira, o que eles seguem é a deliberação do Comitê de Crise, que é baseado em evidências científicas, mas o que nós fizemos nesse processo foi levantar a discussão”, comentou Juliana.

Publicidade