10 de maio de 2021 Atualizado 11:59

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Vacinação

Americana passa média estadual de imunizados contra a Covid

Cidade vacinou 8,3% dos moradores e também está à frente dos municípios da região

Por Rodrigo Alonso

23 mar 2021 às 09:05 • Última atualização 23 mar 2021 às 12:23

Do total de moradores de Americana, 8,3% já receberam pelo menos a primeira dose de uma das vacinas disponíveis contra o novo coronavírus (Covid-19). Em termos percentuais, a cidade supera o Estado e os outros municípios da RPT (Região do Polo Têxtil).

O levantamento leva em consideração a população de 2020 estimada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Americana, que tem 242 mil habitantes, havia aplicado a primeira dose em 20.088 pessoas até a manhã desta segunda, quando a prefeitura divulgou seu último balanço.

Receba as notícias do LIBERAL no WhatsApp

Sumaré é a segunda cidade da região com maior percentual de vacinados, com 5,72%. Ao todo, dos 286 mil moradores, 16.365 se vacinaram.

Em Santa Bárbara d’Oeste, de 194 mil pessoas, 10.087 tiveram acesso à primeira dose, o equivalente a 5,19%. Em Nova Odessa, a taxa está em 5,11%, com 3.114 vacinados em meio a 61 mil habitantes.

Hortolândia, por sua vez, vacinou 10.083 moradores. O número corresponde a 4,3% da população total, de 234 mil pessoas.

Americana, portanto, também fica à frente em números absolutos. Os dados têm como base os últimos balanços divulgados pelas respectivas prefeituras. No Estado, até as 18h45 desta segunda, 7,71% haviam se vacinado, de acordo com o Vacinômetro.

Sobre essa superioridade em comparação às outras cidades, a Vigilância Epidemiológica de Americana comunicou, em nota, “que não há um fator determinante, do ponto de vista da campanha em si, mas que existe o mérito da eficiência das equipes e da logística empregada desde o início do processo”, completa.

O LIBERAL no seu e-mail: se inscreva na nossa newsletter

O órgão ainda apontou que “as equipes foram muito bem orientadas e estão sendo acompanhadas diariamente, com devido suporte e apoio”.

Distribuição
Outro fator que pode ter influenciado nessa questão diz respeito à quantidade de vacinas distribuídas para cada cidade.

“Uma das situações que pode explicar também é a boa cobertura da vacinação contra a Influenza ao longo dos últimos anos na cidade, pois as grades de referência dos quantitativos de doses fornecidos pela Secretaria Estadual da Saúde levam em conta não apenas a população IBGE, mas a cobertura da vacinação contra a Influenza também, sendo que, em Americana, essa cobertura sempre foi alta”, disse a Vigilância.

Segundo a Secretaria Estadual de Saúde, as doses são repassadas conforme o número de pessoas imunizadas contra a gripe em 2020 indicado pelo PNI (Programa Nacional de Imunizações). Trata-se de um critério utilizado tanto pelo Ministério da Saúde como pelo governo de São Paulo.

Publicidade