Americana lança obra para melhorar abastecimento no Pós-Anhanguera

Segundo o DAE, uma mesma tubulação abastece todos os bairros da região e também o São Vito


O DAE (Departamento de Água e Esgoto) de Americana projeta concluir no primeiro trimestre do ano que vem uma obra que deve diminuir os problemas de falta de abastecimento de água na região do Pós-Anhanguera, que há anos sofre com baixa pressão e ocorrências de torneiras secas. Será feita a implantação de uma caixa de controle para “separar” o abastecimento desses bairros ao da região do São Vito. Hoje, existe uma interligação prejudicial para o sistema.

Segundo o DAE, a mesma tubulação abastece todos os bairros da região do Pós-Anhanguera e também o São Vito. Nos problemas ocorridos em qualquer um dos bairros além da rodovia, todos os outros interligados pela mesma adutora são afetados. Com essa caixa de controle, quando houver uma ocorrência em algum dos pontos do Pós-Anhanguera, e vice-versa, o DAE vai conseguir “isolar” o problema para que não afete os outros bairros, como acontece hoje.

Foto: Divulgação
Trabalho de reparo do DAE em subadutora na Av. Afonso Pansan: caso de situação que afetou abastecimento no Pós-Anhanguera

Ainda de acordo com a autarquia, as causas da falta d’água são os frequentes rompimentos na adutora, a falta de capacidade dos reservatórios devido ao crescimento da população, a falta de investimentos para acompanhar a demanda e quedas de energia.

Em reunião com o vereador Juninho Dias (MDB) e o diretor do DAE, Carlos Zappia, o prefeito Omar Najar (MDB) criticou a situação. “Toda a parte do DAE daquela região foi abandonada. Por mais de 20 anos, aqueles bairros tiveram grande crescimento e nenhum tipo de melhoria foi feita. A adutora era pra ter sido trocada nos anos 90”.

De acordo com informações da prefeitura, existe um estudo para a troca da adutora que abastece a região. A primeira fase da obra está avaliada em R$ 18 milhões e a obra total em aproximadamente R$ 39 milhões. A possibilidade de construção de novos reservatórios também está inclusa nos estudos.

Para o aposentado Olivaldo da Cruz Dourado, de 58 anos, que vive há 22 anos no bairro Antonio Zanaga, as melhorias são urgentes. “Faz quatro semanas que para a água na quinta-feira e volta só no domingo à noite. Esse ano foi ficando feio o negócio, a gente armazena a água da máquina de lavar roupa para lavar o quintal, mas não é justo com a gente”, comentou.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora