Americana investiga dois casos de febre amarela

Pacientes tem 43 e 69 anos, segundo informações da prefeitura


A Prefeitura de Americana divulgou na manhã desta segunda-feira (22) que investiga dois casos de febre amarela no município. As suspeitas são referentes a notificações de 2019.

De acordo com informações da prefeitura, os pacientes com suspeita de febre amarela têm 43 e 69 anos – um deles é o aposentado Milton Benedicto que morava no bairro São Domingos e morreu de febre hemorrágica, com causa ainda em investigação. O outro caso trata-se de um homem do Cariobinha.

Em 2017, um homem morreu com a doença. Em 2018, a cidade não registrou nenhum caso.

A vacina é a principal ferramenta de prevenção e controle da doença. Desde fevereiro, a vacina contra a febre amarela está disponível em todas as unidades de saúde de Americana.

Foto: João Carlos Nascimento, Marcelo Rocha e Marlon Oliveira
Vacinação é a melhor forma de prevenir a febre amarela

Sobre a febre

A febre amarela é uma doença infecciosa febril aguda, causada por um vírus transmitido por mosquitos vetores, e possui dois ciclos de transmissão: silvestre (quando há transmissão em área rural ou de floresta) e urbano.

O vírus é transmitido pela picada dos mosquitos transmissores infectados e não há transmissão direta de pessoa a pessoa. A melhor forma de prevenção é a vacinação.

Os sintomas iniciais da febre amarela incluem o início súbito de febre, calafrios, dor de cabeça intensa, dores nas costas, dores no corpo em geral, náuseas e vômitos, fadiga e fraqueza.

A maioria das pessoas melhora após estes sintomas iniciais. No entanto, cerca de 15% apresentam um breve período, de horas a um dia, sem sintomas e, então, desenvolvem uma forma mais grave da doença.

Em casos graves, a pessoa pode desenvolver febre alta, icterícia (coloração amarelada da pele e do branco dos olhos), hemorragia (especialmente a partir do trato gastrointestinal) e, eventualmente, choque e insuficiência de múltiplos órgãos. Cerca de 20% a 50% das pessoas que desenvolvem doença grave podem morrer.

 

 

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora

Receba nossa newsletter!