28 de janeiro de 2021 Atualizado 08:09

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

COVID-19

Americana e região voltam à fase amarela do Plano SP

Anúncio foi feito na tarde desta segunda-feira pelo governador João Doria; regressão deve retomar restrições a funcionamento de atividades

Por Marina Zanaki/João Colosalle

30 nov 2020 às 12:42 • Última atualização 30 nov 2020 às 21:51

O governador João Doria anunciou nesta segunda-feira (30), em coletiva de imprensa, o retorno da região de Campinas à fase amarela do Plano SP.

“Com o claro aumento da instabilidade da pandemia, o governo de São Paulo e o Centro de Contingência decidiram que 100% do estado vai retornar para a fase amarela”, anunciou Doria.

“Essa medida não fecha comércio, bares ou restaurantes. A fase amarela não fecha atividades, mas é mais restritiva nas medidas para evitar aglomerações e o aumento do contágio da Covid-19. Essa mudança para a fase amarela não altera a programação de volta às aulas e as escolas não serão fechadas”, disse o governador.

A medida ocorre após o segundo turno das eleições e a alta de casos e internações por conta do novo coronavírus (Covid-19) em regiões diversas do Estado.

Com isso, restrições devem ser adotadas em Americana, Santa Bárbara d’Oeste e outros municípios da região de Campinas, que haviam avançado da fase laranja para a fase amarela em 8 de agosto.

Nesta fase, bares e restaurantes poderiam retomar o atendimento presencial restrito na fase laranja. Academias de ginástica, salões de beleza e barbearias também poderiam voltar a funcionar.

Com a redução das mortes e internações, a região avançou em 9 de outubro para a fase verde, a penúltima dentre as etapas de retomada do Plano SP.

Até então, era possível a volta de serviços como os cinemas e teatros. As restrições para comércios, bares e restaurantes também eram menores.

Doria explicou que o Centro de Contingência diminuiu o tempo de análise dos dados a cada 28 dias para 7 dias. “É uma medida de prudência para melhorar o controle da pandemia”, disse o governador.

A próxima reclassificação está marcada para 4 de janeiro de 2021.

Usar máscaras é forma de evitar o vírus – Foto: Marcelo Rocha / O Liberal

Ao menos entre as cidades da RPT (Região do Polo Têxtil), as prefeituras têm acatado as restrições impostas pelo governo estadual.

As administrações, no entanto, ainda devem se manifestar sobre como conduzirão a regressão anunciada nesta segunda-feira pelo governador.

Cenário

Em Americana, o número de casos confirmados do novo coronavírus voltou a subir na última semana, conforme o LIBERAL mostrou.

Até a última sexta-feira (27), a cidade registrava 6.650 casos positivos e 176 óbitos. Na cidade, 6.322 tiveram a doença e se recuperaram. Na data, havia ainda 244 casos suspeitos.

A taxa de ocupação dos leitos destinados ao tratamento da Covid-19 no Hospital Municipal Dr. Waldemar Tebaldi também registrou aumento nos últimos dias.

A volta das internações e o temor de uma nova onda de infecções fez, inclusive, com que a direção do hospital desistisse de reduzir o número de leitos exclusivos para a doença.

Na sexta-feira, a ocupação de leitos com respiradores no HM era de 47% (8 ocupados dos 17 existentes). Já a de leitos sem respiradores, era de 83% (15 dos 18).

Nos hospitais particulares, porém, a ocupação tem sido menor. Em leitos com respiradores, as taxas variavam entre 7% e 21% nas unidades São Lucas, Unimed e São Francisco.

Já na enfermaria, em leitos sem respiradores, os hospitais São Lucas e São Francisco apresentavam, na sexta-feira, ocupação de 18% e 11%, respectivamente. Na Unimed, a taxa era maior, de 83%. No total, Americana tem 56 leitos com respirador e 65 sem.

Veja como fica o funcionamento de atividades na fase amarela, segundo o Plano SP.

Shoppings centers

  • Ocupação máxima limitada a 40% da capacidade do local
  • Horário reduzido (10 horas)
  • Praças de alimentação (ao ar livre ou em áreas arejadas)
  • Adoção dos protocolos geral e setorial específico

Comércio

  • Ocupação máxima limitada a 40% da capacidade do local
  • Horário reduzido (10 horas)
  • Adoção dos protocolos geral e setorial específico

Serviços

  • Ocupação máxima limitada a 40% da capacidade do local
  • Horário reduzido (10 horas)
  • Adoção dos protocolos geral e setorial específico

Bares e restaurantes

  • Somente ao ar livre ou em áreas arejadas
  • Ocupação máxima limitada a 40% da capacidade do local
  • Horário reduzido (10 horas)
  • Consumo local até 17h
  • Consumo local até as 22h (se a região estiver a ao menos 14 dias seguidos na fase amarela)
  • Adoção dos protocolos padrões e setoriais específicos

Salões de beleza e barbearias

  • Ocupação máxima limitada a 40% da capacidade do local
  • Horário reduzido (10 horas)
  • Adoção dos protocolos geral e setorial específico

Academias

  • Ocupação máxima limitada a 30% da capacidade do local
  • Horário reduzido (10 horas)
  • Agendamento prévio com hora marcada
  • Permissão apenas de aulas e práticas individuais, mantendo-se as aulas e práticas em grupo suspensas
  • Adoção dos protocolos geral e setorial específico

Eventos e convenções

  • Permitido após a região ficar ao menos 28 dias consecutivos na fase amarela (apenas caso a região tenha avançado das fases laranja ou vermelha)
  • Ocupação máxima limitada a 40% da capacidade do local
  • Obrigação de controle de acesso, hora marcada e assentos marcados
  • Venda de ingressos de eventos culturais em bilheterias físicas ou digitais, desde que respeitados protocolos sanitários e de distanciamento
  • Assentos e filas respeitando distanciamento mínimo
  • Proibição de atividades com público em pé
  • Adoção dos protocolos geral e setorial específico

Publicidade