29 de julho de 2021 Atualizado 08:27

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Plano SP

Americana e região vão regredir para fase vermelha do Plano São Paulo

Informação foi antecipada pelo prefeito de Campinas e confirmada pelo governo do Estado em coletiva de imprensa

Por

03 jul 2020 às 10:24 • Última atualização 04 jul 2020 às 00:30

Americana e região vão regredir da fase 2 (laranja) para a fase 1 (vermelha) do Plano São Paulo na reclassificação das regiões nesta sexta-feira (3). A fase vermelha é a de quarentena restrita, onde apenas comércios essenciais podem funcionar.

A informação foi divulgada originalmente pelo prefeito de Campinas, Jonas Donizette (PSB), e confirmada pelo LIBERAL com fontes do governo do Estado durante a manhã.

No início da tarde, em coletiva de imprensa, o governo do Estado confirmou a medida oficialmente.

Apresentação do Estado mostra Campinas na fase vermelha – Foto: Governo do Estado de São Paulo

Conforme publicado pelo LIBERAL nesta quinta-feira, fontes do Estado já alertavam para o risco do DRS (Departamento Regional de Saúde) de Campinas – do qual Americana e região fazem parte – regredir para a fase mais restritiva da quarentena.

O alerta apontava para o aumento no número de internações e ocupação dos leitos de UTI exclusivos para o coronavírus, fatores fundamentais para a decisão.

Aglomeração de adolescentes em praça no Jaguari, em Americana – Foto: Marcelo Rocha / O Liberal

Através de uma transmissão ao vivo em sua página no Facebook na manhã desta sexta, o prefeito de Campinas disse que foi informado da decisão na noite de quinta. A região atingiu 80.6% de nível de ocupação de UTIs (Unidades de Terapia Intensiva); acima de 80%, a classificação é vermelha.

Com isso, as cidades da RPT (Região do Polo Têxtil) terão de fechar os comércios permitidos na fase 2, que são lojas de rua, concessionárias, escritórios, imobiliárias e shoppings center.

Na fase vermelha, só são permitidos os segmentos considerados essenciais pelos parâmetros definidos pelo Estado, como mercados e farmácias.

Dados mostram a situação das regiões do Estado – Foto:

Além da Capa
Os eleitores brasileiros ainda não sabem em que data irão às urnas neste ano para escolher novos prefeitos e vereadores. Diante dessa indefinição, como se comportam as campanhas em Americana e região nesse momento? Afinal, considerando a data originalmente prevista (4 de outubro), faltam menos de 100 dias para as eleições. Nesse episódio, o editor Bruno Moreira recebe o repórter André Rossi e editor-executivo e chefe de reportagem do LIBERAL, João Colosalle, para discutir o cenário regional.

Publicidade