27 de novembro de 2020 Atualizado 18:46

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Plano SP

Americana e região vão regredir para fase vermelha do Plano São Paulo

Informação foi antecipada pelo prefeito de Campinas e confirmada pelo governo do Estado em coletiva de imprensa

Por André Rossi

03 jul 2020 às 10:24 • Última atualização 04 jul 2020 às 00:30

Americana e região vão regredir da fase 2 (laranja) para a fase 1 (vermelha) do Plano São Paulo na reclassificação das regiões nesta sexta-feira (3). A fase vermelha é a de quarentena restrita, onde apenas comércios essenciais podem funcionar.

A informação foi divulgada originalmente pelo prefeito de Campinas, Jonas Donizette (PSB), e confirmada pelo LIBERAL com fontes do governo do Estado durante a manhã.

No início da tarde, em coletiva de imprensa, o governo do Estado confirmou a medida oficialmente.

Apresentação do Estado mostra Campinas na fase vermelha – Foto: Governo do Estado de São Paulo

Conforme publicado pelo LIBERAL nesta quinta-feira, fontes do Estado já alertavam para o risco do DRS (Departamento Regional de Saúde) de Campinas – do qual Americana e região fazem parte – regredir para a fase mais restritiva da quarentena.

O alerta apontava para o aumento no número de internações e ocupação dos leitos de UTI exclusivos para o coronavírus, fatores fundamentais para a decisão.

Aglomeração de adolescentes em praça no Jaguari, em Americana – Foto: Marcelo Rocha / O Liberal

Através de uma transmissão ao vivo em sua página no Facebook na manhã desta sexta, o prefeito de Campinas disse que foi informado da decisão na noite de quinta. A região atingiu 80.6% de nível de ocupação de UTIs (Unidades de Terapia Intensiva); acima de 80%, a classificação é vermelha.

Live 03/07.

Posted by Jonas Donizette on Friday, July 3, 2020

Com isso, as cidades da RPT (Região do Polo Têxtil) terão de fechar os comércios permitidos na fase 2, que são lojas de rua, concessionárias, escritórios, imobiliárias e shoppings center.

Na fase vermelha, só são permitidos os segmentos considerados essenciais pelos parâmetros definidos pelo Estado, como mercados e farmácias.

Dados mostram a situação das regiões do Estado – Foto:

Além da Capa
Os eleitores brasileiros ainda não sabem em que data irão às urnas neste ano para escolher novos prefeitos e vereadores. Diante dessa indefinição, como se comportam as campanhas em Americana e região nesse momento? Afinal, considerando a data originalmente prevista (4 de outubro), faltam menos de 100 dias para as eleições. Nesse episódio, o editor Bruno Moreira recebe o repórter André Rossi e editor-executivo e chefe de reportagem do LIBERAL, João Colosalle, para discutir o cenário regional.

Publicidade