Americana é a 60ª cidade mais inteligente do País

Município se destacou em tecnologia e inovação, economia, segurança e urbanismo no Connected Smart Cities


Americana é a 60ª cidade mais inteligente do País, de acordo com o ranking Connected Smart Cities, divulgado neste mês pela Urban Systems, empresa especializada em inteligência de mercado. A cidade aparece no top 100 em quatro dos 11 indicadores usados para calcular o índice final: urbanismo (43º lugar), tecnologia e inovação (68º), segurança (45º) e economia (48º). É o único município da RPT (Região do Polo Têxtil) que figura no ranking.

Apesar de ter perdido três posições – ano passado a cidade era a 57ª da lista –, Americana passou a aparecer entre as 100 mais inteligentes do País em dois novos indicadores (segurança e economia). Em 2017, ela só figurava no top 100 em urbanismo (era a 22º) e tecnologia inovação (era a 77º).

Foto: Marcelo Rocha / O Liberal
Cidade está no top 100 em quatro dos 11 indicadores do ranking Connected Smart Cities, divulgado neste mês pela empresa Urban Systems

De acordo com a Urban Systems, o conceito de cidade inteligente considera que o desenvolvimento tem de levar em conta a conectividade entre todos os setores. Por exemplo, a consciência de que investimentos em saneamento estão atrelados não apenas a questões ambientais, mas também a ganhos em saúde, que impactarão depois em questões de economia.

O secretário de Planejamento de Americana, Cláudio Amarante, considera que alguns investimentos da prefeitura, como em câmeras de segurança, por exemplo, podem ter feito a cidade figurar entre as 100 melhores em indicadores nos quais antes não aparecia.

Apesar do ranking, Amarante considera que Americana ainda está engatinhando para se tornar uma cidade inteligente. O secretário afirma que o levantamento não abrange todas as questões que envolvem a definição de smart city. “É a cidade que consegue resolver problemas sem interferência do homem”, afirma Amarante, ao ser questionado sobre sua definição de cidade inteligente.

Um exemplo disso, explica, é a digitalização na saúde, para que quando um paciente chegue a uma unidade, se saiba todo seu histórico. Uma necessidade para que a cidade possa ser considerada inteligente, diz Amarante, é a digitalização de todos os processos.

O levantamento da Urban Systems leva em conta algumas variáveis em cada indicador. Em segurança, por exemplo, analisa número de homicídios, de mortes em acidentes de trânsito e despesas no setor.
Em urbanismo, é verificado desde se a cidade tem um plano diretor estratégico até o número de vias pavimentadas.

Em economia, são avaliadas informações como renda média dos empregos formais, crescimento do PIB e geração de empregos. O sistema usa várias bases de dados. Em tecnologia e inovação, a cobertura 4G, número de trabalhadores com ensino superior e números de ligações à Internet estão entre os itens avaliados. Além dos quatro indicadores nos quais Americana aparece são avaliados outros sete: educação, saúde, mobilidade, meio ambiente, empreendedorismo, governança e energia.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora

Receba nossa newsletter!