Americana descarta segunda morte suspeita de dengue

Exame não confirmou que a doença foi a causa da morte de morador do bairro Cariobinha


A Vigilância Epidemiológica de Americana informou nesta quarta-feira (22) que o exame de um morador do bairro Cariobinha, de 43 anos, descartou morte por dengue. É o segundo caso descartado nesta semana. Até então, a cidade tinha cinco mortes suspeitas da doença.

O exame foi feito pelo Instituto Adolfo Lutz, de São Paulo. Além da dengue, também foram descartadas leptospirose, febre amarela e febre maculosa. “A Vigilância deu este caso por encerrado. Os exames dos outros pacientes ainda seguem sob investigação”, informou a prefeitura.

Americana vive a terceira maior epidemia de dengue já registrada. São 1,9 mil casos, segundo a prefeitura. O bairro Antonio Zanaga é o que tem mais registros da doença.

OUTRO CASO

Nesta terça-feira (21), a Vigilância Epidemiológica de Americana informou que o exame realizado pelo Instituto Adolfo Lutz descartou dengue, leptospirose, febre amarela e febre maculosa como causas da morte do aposentado Milton Benedicto, de 69 anos, morador do bairro São Domingos.

Foto: Venilton Kuchler - Anpr
Americana vive epidemia de dengue provocada pelo mosquito Aedes aegypti

Além destes dois casos descartados, a RPT (Região do Polo Têxtil) tem outras oito mortes com suspeita de dengue, que aguardam os resultados dos exames. Destes, cinco óbitos foram registrados em Americana, dois em Santa Bárbara d’Oeste e mais dois em Hortolândia.

 

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora