19 de maio de 2022 Atualizado 08:57

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Americana

Americana chega a 2,3 mil casos de dengue em 2022

Em janeiro foram sete casos confirmados, 61 em fevereiro, 702 em março e 1.043 em abril

Por Ana Carolina Leal

14 Maio 2022, às 07h55 • Última atualização 14 Maio 2022, às 07h56

Americana já soma 2.325 casos positivos de dengue. Desde a última reportagem do LIBERAL, em 3 de maio, o número de registros da doença aumentou 28%, com 512 resultados a mais.

O total considera o período de janeiro a 12 de maio. São 102 dias e uma média de 22 casos positivos por dia. Desde então, o município já confirmou cinco mortes provocadas pela dengue.

Receba as notícias do LIBERAL no WhatsApp

Os casos registrados em Americana seguem a mesma tendência do cenário regional e estadual, com aumento significativo nos meses de março e abril. Em janeiro foram sete casos confirmados, 61 em fevereiro, 702 em março e 1.043 em abril.

“A dengue é uma doença sazonal, com oscilação de casos a cada três anos, em média. Já entre suas variáveis é possível encontrar os tipos 1, 2, 3 e 4, sendo no ano de 2022, a predominância das variações tipo 1 e 2”, afirma a Secretaria de Estado da Saúde. Em Americana, a Vigilância Epidemiológica informou que todos os casos deste ano foram pelo sorotipo 1.

De acordo com o infectologista Arnaldo Gouveia Junior, muitas pessoas estão tendo a doença pela segunda ou terceira vez, o que aumenta o risco de dengue hemorrágica.

Como surgiu a dengue em Americana, há 30 anos?

Sintomas da dengue

Os sintomas incluem febre, prostração geral, falta de apetite, dores musculares e articulares, dor no fundo dos olhos, cansaço, fadiga, enjoo, vômito, diarreia, entre outros.

Combate ao mosquito

O Aedes aegypti é um mosquito doméstico. Ele vive dentro de casa e perto dos seres humanos. Com hábitos diurnos, o mosquito (apenas a fêmea) se alimenta basicamente de sangue humano, principalmente ao amanhecer e ao entardecer, para se reproduzir. A reprodução acontece em água parada, limpa ou suja, a partir da postura de ovos pelas fêmeas. Os ovos são colocados em água e distribuídos por diversos criadouros.

Algumas medidas ajudam a evitar a proliferação do mosquito:

  • Tampe os tonéis e caixa d’água
  • Mantenha as calhas sempre limpas
  • Deixe garrafas sempre viradas com a boca para baixo
  • Mantenha lixeiras bem tampadas.
  • Deixe ralos limpos e com aplicação de tela
  • Limpe semanalmente ou preencha pratos de vasos de plantas com areia
  • Limpe com escova ou bucha os potes de água para animais
  • Retire água acumulada na área de serviço, atrás da máquina de lavar roupa

Fonte: Ministério da Saúde

Publicidade