Alteração na qualidade da água não matou peixes, afirma Cetesb

Agência não informou com quais possibilidades trabalha, mas recomendou evitar contato na represa do Salto Grande


A Cetesb (Companhia Ambiental do Estado) detectou, na quarta-feira, que a qualidade da água na represa do Salto Grande, em Americana, estava alterada, mas não o suficiente para causar a mortandade de peixes registrada no local. A agência, que investiga o caso, não divulgou com quais outras hipóteses trabalha. O órgão recomendou que as pessoas evitem ingestão e contato com a água da represa.

Os técnicos também não encontraram lançamentos pontuais de poluentes no reservatório. Na quarta-feira, a CPFL Renováveis, que administra a Salto Grande, informou que situações como a mortandade estão associadas com o lançamento de poluição difusa e pontual na represa.

Foto: Marcelo Rocha / O Liberal
Cetesb investiga motivos de peixes terem aparecido mortos na represa

De acordo com a assessoria de imprensa da Cetesb, os técnicos constataram na vistoria de quarta-feira a presença de peixes mortos. As análises realizadas (de ph, temperatura, condutividade e oxigênio) apresentaram resultados alterados, “mas não suficiente para causar a mortandade no ato da fiscalização”, informou a Cetesb, que encontrou no local aguapés e floração de algas.

Boa parte da represa está coberta pelos aguapés, que, em excesso, dificultam a entrada de luz na água e, consequentemente, a fotossíntese das algas e a oxigenação do ambiente aquático.

Em uma vistoria anterior, na sexta-feira, quando receberam outro relato de morte de peixes, os técnicos viram que os animais estavam subindo à superfície para buscar ar. Isso pode ser um sinal de baixa oxigenação, segundo a Cetesb.

A CPFL Renováveis retomou neste mês a remoção mecanizada dos aguapés (que havia sido interrompida ano passado para estudar formas mais eficazes de lidar com o problema) e afirmou que situações como a mortandade não têm qualquer relação com isso, e sim com o lançamento de poluição difusa e pontual na represa.

Adilson Zanardi, que encontrou na quarta centenas de peixes mortos às margens da Associação dos Cabos e Soldados da PM (Polícia Militar), disse que ontem não apareceram mais animais mortos.

A Cetesb pode ser avisada sobre casos pelo telefone (19) 3461-1550, das 8 às 17 horas, e pelo 0800.113.560, à noite, fins de semana e feriados.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora