Professor faz campanha de combate à dengue

Professor da Cidade Jardim, em Americana, tem iniciativa de conversar com vizinhos e distribuir folhetos sobre dengue


O professor de filosofia Laércio Silveira, de 66 anos, foi além da lição de casa de procurar água parada em seu quintal para combater a dengue. Ele começou um trabalho de conscientização junto aos vizinhos, na Cidade Jardim, em Americana.

Silveira imprimiu cinco mil folhetos com orientações, distribuindo na vizinhança. A ideia teve aceitação e o professor juntou um grupo de dez voluntários que farão esse trabalho mediante um pagamento simbólico.

Foto: João Carlos Nascimento / O Liberal
Laércio Silveira imprimiu cinco mil folhetos e criticou orientações rápidas de agente terceirizado

A ideia surgiu após a declaração da filha de um paciente que morreu com suspeita de dengue, publicada pelo LIBERAL na semana passada. A comerciante Ana Paula Venancio Baioco definiu como “primitivo” morrer por dengue.

“Pensei que eu posso pegar dengue por culpa do meu vizinho. A minha casa está sem criadouro, mas e a do vizinho? Virou uma conversa de porta de bar, de esquina, e estou nos cinco mil folhetos”, contou.

O que começou de maneira despretensiosa aos poucos ganha planejamento. Um mapa da região da Cidade Jardim indica onde ele já esteve e em quais ruas ainda pretende ir. O professor já gastou R$ 500, mas se colocou à disposição de imprimir mais folhetos para interessados de outros bairros e planeja instalar faixas pela região central.

“Que eu salve uma vida para mim está ótimo. Ninguém pediu para fazer isso, ninguém está me dando dinheiro, nunca tive dengue. Qualquer pessoa de Americana que quiser pode ligar que eu levo impresso”, garantiu.

O material foi elaborado em parceria com a agência de publicidade de Vinicius Campanhol, de 33 anos. “A mensagem final é justamente convidar a população de Americana a fazer parte dessa campanha, que busca o bem de todos”, convidou Vinicius.

Silveira atuou como agente da dengue há 20 anos e criticou a forma como atualmente o serviço é realizado. Ele recebeu um funcionário terceirizado que atua na equipe de Americana e, segundo o professor, o agente apenas passou orientações rápidas e sequer entrou no quintal de sua residência.

PÚBLICO

A Secretaria de Saúde de Americana agradeceu a iniciativa do morador, mas ressalvou que é importante que essas ações sejam realizadas após consulta à equipe técnica da Vigilância em Saúde, que poderia contribuir por possuir conhecimentos específicos.

Sobre a reclamação do morador sobre o atendimento do agente de saúde, o município disse que todos os terceirizados passaram por treinamento e que são feitas avaliações periódicas.

“Essa denúncia será apurada, mas sempre que ocorrer algo desse tipo, é importante que o morador informe a prefeitura”, indicou. O telefone do Serviço de Atendimento ao Cidadão é o (19) 3475-9024.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora