Agenda da UBS Mathiensen não tem mais vagas para consultas em 2019

Atendimento para clínico geral encerrou-se em fevereiro, segundo paciente; vagas do ano que vem ainda não estão liberadas


A UBS (Unidade Básica de Saúde) Mathiensen, em Americana, não possui mais vaga para consulta com clínico geral para este ano. A agenda está lotada até dezembro e reportagem apurou que os horários se esgotaram em fevereiro. A orientação dada aos pacientes que procuram a unidade é “tentar um encaixe”, já que a agenda do ano que vem ainda não está liberada.

Foto: Aparecido Ferreira Gandra - Divulgação
População vem tentando encaixe na UBS, fazendo filas que começam de madrugada

“Me falaram que estava lotado para esse ano, que não tinha, e que se eu quisesse podia vir tentar encaixe de quarta, quinta ou sexta-feira. Só desse modo para conseguir mesmo”, relatou o estudante Gabriel Tristão Moreira, de 18 anos.

A medida consiste em chegar mais cedo e esperar se algum paciente com consulta agendada para aquele dia vai faltar. Antes, o posto registrava filas nos dias em que as agendas eram abertas. A Secretaria de Saúde abriu as vagas para todo o ano, as vagas se esgotaram e agora as filas que se formam de madrugada são para tentar esse encaixe.

“Encaixe tem que vir de madrugada, isso se faltar alguém. Se chegar às 5h você já não consegue. Em fevereiro eu vim aqui para marcar consulta para o médico e não tinha como marcar consulta, só ano que vem”, disse a dona de casa Sandriane Maria da Silva Santos, de 24 anos.

A situação no Mathiensen é a mais complicada, mas em outros postos a agenda também está lotada. A reportagem apurou que na UBS Jardim São Paulo as consultas estão sendo marcadas para dezembro e no posto do Antônio Zanaga para outubro.

SOLUÇÃO. Nesta sexta-feira, a prefeitura disse que “os atrasos nas agendas são consequência da redução dos médicos que atuam na rede básica, porém todos os esforços possíveis estão sendo empreendidos pela administração com o intuito de agilizar as contratações necessárias para sanar o problema dentro da legalidade e da nossa capacidade econômica”.

A prefeitura deve contratar, por meio de empresa terceirizada, entre 23 e 24 médicos para a rede de atenção básica, entre clínicos gerais, ginecologistas e pediatras. No final de março, o secretário de Saúde, Gleberson Miano, informou que esperava que os médicos estarão aptos a trabalhar em 60 dias. A contratação será realizada por meio de uma empresa terceirizada.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora