28 de novembro de 2020 Atualizado 11:24

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Economia

Afetado pela pandemia, turismo volta a registrar procura, relatam agências

Representantes ouvidos citam buscas por destinos em cidades turísticas no Estado, em Minas e no Nordeste

Por Leonardo Oliveira

27 set 2020 às 08:46 • Última atualização 27 set 2020 às 08:48

Um dos setores da economia mais afetados pela pandemia do novo coronavírus (Covid-19), o turismo volta aos poucos a registrar aumento na busca por pacotes de viagens. Nas agências instaladas em Americana, há relatos da subida de até 30% no número de orçamentos neste mês.

O LIBERAL ouviu representantes de cinco estabelecimentos que atuam no ramo em Americana. O retorno foi dos mais variados.

Houve agências em que a procura era por destinos no Nordeste. Outras tiveram consumidores buscando opções mais próximas, trajetos que podem ser feitos de carro. A empresária Raquel Biancarelli, franqueada da CVC em Americana e Santa Bárbara d’Oeste, afirma que, neste momento, são estes os dois perfis mais buscados.

Dona de uma agência de turismo em Americana, Vanderlene Bortoletto diz que roteiros no Nordeste são os mais buscados – Foto: Marcelo Rocha / O Liberal

Viagens mais rápidas a destinos como Ilhabela, Campos do Jordão e Monte Verde (MG) são as escolhidas para agora.

“Para embarque imediato, a pessoa está apostando nesses destinos. A gente percebe que a pessoa que não tem tanto tempo ou ela quer sentir como é viajar agora, está indo para um roteiro próximo, em que ela esteja se sentindo mais segura”, disse à reportagem.

É o caso da professora de inglês Gabriela Alves, de 25 anos. Ela sentiu sua rotina ficar mais pesada durante a pandemia, com exigência mental maior por conta das aulas virtuais. “A sensação era de que só acordava, trabalhava e dormia, não fazia mais nada”, relata.

Para “se desligar de tudo”, escolheu Monte Verde como o destino. Na cidade mineira, ela passou o fim de semana do feriado de 7 de setembro com a namorada.

“Nos sentimos muito seguras em relação aos protocolos que estão sendo seguidos. A cidade estava cheia, por ter sido no feriado, só que dentro do limite. Tudo estava operando com 50% da capacidade”, conta.

Na agência Nova Brasil Turismo, os trajetos para o Nordeste são os mais buscados, segundo a proprietária, Vanderlene Bortoletto.

“Tenho vendido viagens para Maceió, Natal Ilhéus, Salvador. Consegui fechar já alguns pacotes. Não está no nível que estava antes, mas, graças a Deus, está retomando”, conta.

Os representantes de agências ouvidos também disseram que o aumento da procura não necessariamente está se refletindo, por enquanto, nos pacotes fechados.

A Vambora Turismo, com atendimento direcionado ao público da terceira idade, enfrenta dificuldades na retomada.

“O meu retorno por enquanto é zero. O que eu tinha do mês de setembro e outubro foi tudo cancelado, novembro também. Tive uma procura muito pequena de pacotes, mas pra janeiro, março do ano que vem”, afirmou o proprietário, Gilson Batista.

Vanderlene conta que sua agência só sobreviveu pois tinha um caixa reservado justamente para emergências como essa.

“Quem não tinha um respaldo financeiro, acho que foi difícil. Graças a Deus a gente conseguiu passar”, conta.

Um dos atrativos para buscar consumidores tem sido a aposta em pacotes mais baratos, diz o agente da Faé Viagens, Júnior Simão.

“Como as vendas caíram muito, os hotéis e companhias aéreas baixaram muito o valor. Você encontra, por exemplo, um pacote que custaria R$ 8 mil que está custando menos de R$ 4 mil”. detalhou.

A franqueada da CVC, Raquel Biancarelli, está confiante na retomada do setor ainda neste ano. “Todos os serviços e empreendimentos relacionados ao turismo estão preparados para isso e eles estão atendendo muito bem, seguindo todas as recomendações. O passageiro está cada vez mais confiante, seja para viajar agora ou se programar para
mais para frente”.

Publicidade